Após decreto de emergência, aumenta procura por vacina contra o sarampo em Manaus

A decisão pela 'Situação de Emergência' anunciada na última terça-feira (3), pelo prefeito Arthur Neto, considera a progressão dos casos de sarampo na capital

Da redação / redacao@diarioam.com.br

Manaus – Um dia após o prefeito Arthur Virgílio Neto decretar ‘Situação de Emergência’ em Manaus como medida para conter o avanço do sarampo na capital, e anunciar mais ações para eliminar a doença na cidade, a população começou, nesta quarta-feira (4), a comparecer às salas de vacinação para receber o imunobiológico.

População começou, nesta quarta-feira (4), a comparecer às salas de vacinação para receber o imunobiológico. (Foto: Altemar Alcântara/Semcom)

“Desde o mês de março estamos com nossas unidades abastecidas com a vacina, com nossas equipes prontas para atender os usuários. Realizamos ações de intensificação, mobilizações, mas esbarrávamos na resistência das pessoas em tomar a vacina. Graças à iniciativa de declarar a situação como emergencial, a população resolveu se vacinar”, destacou o secretário municipal de Saúde, Marcelo Magaldi.

A farmacêutica-bioquímica Jucimar Nunes de Souza Fernandes, 46, foi cedo à Policlínica Castelo Branco, no Parque Dez, zona sul da cidade, levando as duas filhas para vacinar. “Ainda não havia tomado, nem vacinado as meninas. Quando soube do alerta de emergência, resolvi vir ao posto. Se a gente pode prevenir, pra que esperar a criança adoecer, pra ter que tratar?”, disse.

A diretora da Policlínica Castelo Branco, Sandra Paes Leme, informou que a unidade costuma ter um bom movimento de vacinação de rotina, mas que nesta quarta, após o alerta, o movimento triplicou, mas que os profissionais estão preparados para atender a essa demanda. “Não só a nossa policlínica, como todas as unidades do município. Estamos todos mobilizados. Só pedimos um pouco de paciência às pessoas porque, com esse aumento, o atendimento pode demorar um pouco. Mas garantimos vacina para todos”, assegurou a diretora. Só na manhã desta quarta-feira, 300 pessoas foram vacinadas na unidade.

Também foi registrado aumento no comparecimento de usuários em todas as unidades do distrito sul de saúde. Um posto de vacinação foi montado na sede da Secretaria Estadual de Fazenda (Sefaz), na Avenida André Araújo, Aleixo.

No distrito leste, por toda a manhã, as UBSs Gebes de Medeiros Filho (Jorge Teixeira) e José Amazonas Palhano (São José II) também receberam um número expressivo de adultos e crianças em busca da proteção contra o sarampo. No distrito oeste, além do funcionamento normal das salas nas unidades, a UBS do bairro da Paz também teve posto externo para vacinação. No Disa norte, as unidades também registraram aumento na procura pela imunização.

Emergência

A decisão pela ‘Situação de Emergência’ anunciada na última terça-feira (3), pelo prefeito Arthur Neto, considera a progressão dos casos de sarampo em Manaus. Dados do Informe Epidemiológico da Sala de Situação de Vigilância em Saúde da mesma data apontam, desde o início de março deste ano, 2.231 notificações, com a confirmação de 271 casos. Outros 1.841 seguem em investigação e 119 foram descartados. Esse crescimento no número de casos suspeitos aumenta a possibilidade de disseminação para outros Estados do País e coloca em risco os compromissos para manutenção da certificação da eliminação da circulação do vírus do sarampo nas Regiões das Américas.

Outra justificativa para a ‘Situação de Emergência’ é que, mesmo após a intensificação da vacinação e realização de campanha para a população de seis meses a cinco anos, iniciada em abril, e que ainda se encontra em curso, a cobertura de 95% não foi alcançada e os casos continuam aumentando, principalmente na faixa etária de 15 a 29 anos. Outras estratégias para alcançar também esse público-alvo estão sendo implementadas em Manaus, como a vacinação em escolas, empresas, indústrias, comércios e demais instituições com aglomerado de pessoas.