A cada 15 minutos, uma pessoa tem o celular roubado em Manaus, diz SSP

São quase cem ocorrências por dia, conforme a SSP, que registrou, somente neste primeiro bimestre, 5.853 roubos e furtos de celulares. Nesta semana, um estudante morreu, após reagir a assalto

Gisele Rodrigues / redacao@diarioam.com.br

Manaus – Em média, a cada 15 minutos, uma pessoa tem o celular roubado em Manaus, segundo dados da Secretaria de Estado de Segurança Pública (SSP-AM). São quase cem ocorrências por dia, conforme o órgão, que registrou, somente nos dois primeiros meses de 2018, 5.853 roubos e furtos de celulares. No início desta semana, um estudante, de 21 anos, morreu após ser baleado na cabeça, durante um assalto, no bairro Jorge Teixeira 4, zona leste da cidade.

O telefone está presente em quatro a cada dez Boletins de Ocorrência (BOs) de roubos e furtos feitos na capital (Foto: Antonio Cruz/ABr)

O telefone está presente em quatro a cada dez Boletins de Ocorrência (BOs) de roubos e furtos feitos na capital, o que significa que o aparelho foi o alvo dos bandidos em 45% de todos os roubos e furtos ocorridos em Manaus, nos meses de janeiro e fevereiro deste ano.

Nesta semana, a morte do estudante John Kenned Lira da Costa, 21, que reagiu a um roubo do celular, movimentou as redes sociais. “Trocou a vida por um celular”, lamentou o pai do estudante, o pedreiro Januário Vasconcelos da Costa, 58, que trabalhava junto com o filho.

O número deste tipo de roubo e furto cresceu quase 40%, ao ser comparado com o mesmo período do ano anterior – foram 1.648 a mais de delitos, neste ano.

Assaltos violentos

Enquanto que no furto um ladrão subtrai algo da vítima sem ser percebido ou sem entrar em contato com ela, no roubo a tipificação no Código Penal Brasileiro prevê como característica a violência ou grave ameaça.

A estatística da SSP-AM mostrou que os ladrões optam pela violência com relação aos celulares. O levantamento indicou que, somados os dois delitos, a cada dez registros, sete foram de roubo, nos primeiros dois meses de 2018.

Entre janeiro e fevereiro deste ano, a secretaria recebeu 4.084 BOs de roubo, enquanto no mesmo período 1.769 pessoas registraram o crime de furto.

Casos de roubo, como o do estudante morto no assalto, também são quase três vezes maiores que o número de furtos em Manaus, conforme informou a secretaria.

No mês de janeiro, por exemplo, 366 pessoas procuraram uma delegacia para informar que tinham sofrido o delito de furto do aparelho telefônico. Ao passo que, no mesmo mês, 1.486 pessoas relataram terem tido o celular roubado com uso de armas ou violência.

A SSP-AM justificou que o crescimento no número de roubos e furtos de celular pode ser explicado pelo fato de que as estatísticas geradas pela Delegacia Interativa, site onde a vítima faz o boletim pela internet, só começaram a ser levantados a partir de maio do ano passado.

Bloqueio ineficiente

Dos mais de 5 mil aparelhos roubados neste ano (janeiro e fevereiro), apenas 140 foram bloqueados, conforme a SSP-AM. O projeto, lançado pela secretaria em fevereiro do ano passado, teve a eficácia alcançada em somente 2% dos registros em 2018.

A ação da secretaria ocorre em parceria com a Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel), por meio do Cadastro de Estações Móveis Impedidas (Cemi), e prevê que os aparelhos sejam bloqueados no prazo de seis a 24 horas.

A expectativa do então secretário de Segurança Pública, Sérgio Fontes, era de uma redução de 40% no número de furtos e roubos de celular. No entanto, os primeiros dois meses deste ano registraram um aumentou de quase 40% no número deste tipo de delito.

A vítima de roubo, furto ou extravio deve apresentar os seguintes documentos para a realização do bloqueio: cópias do RG, CPF, comprovante de residência, CNPJ e comprovação de vínculo (em caso de pessoa jurídica), e preencher um formulário autorizando esse bloqueio. A nota fiscal não é obrigatória.