Defensoria Pública oferece atendimento agendado para vítimas de abuso sexual

As vítimas recebem atendimento psicológico, jurídico e social, estendendo o acompanhamento psicossocial aos seus familiares e agressores que se disponham ao tratamento psicológico

Com informações da Assessoria / redacao@diarioam.com.br

Manaus – A Defensoria Pública do Estado do Amazonas (DPE-AM) passa a oferecer, a partir desta segunda-feira (22), o serviço de atendimento agendado via telefone e e-mail para o acompanhamento de crianças e adolescentes vítimas de abuso sexual.

O serviço está inserido dentro do projeto ‘Um Novo Amanhã’, criado pela Defensoria desde o ano passado. O agendamento pode ser feito por meio do telefone (92) 998408-2649 e pelo e-mail umnovoamanha@defensoria.am.gov.br. Qualquer pessoa pode entrar em contato para o agendamento, mesmo que não tenha sido encaminhada por outro órgão. O agendamento pode ser feito por telefone no horário de 8h às 14h, de segunda a sexta-feira.

Além de servir como uma via de entrada no sistema de proteção à criança e ao adolescente, o projeto atende, ainda, os casos encaminhados pelos órgãos do estado que atuam na rede de defesa e proteção dos direitos das crianças e adolescentes, como a Delegacia Especializada de Proteção à Criança e do Adolescente (DEPCA), Centros de Referência Especializados de Assistência Social (Creas) e Conselhos Tutelares.

O foco do projeto ‘Um Novo Amanhã’ tem sido o atendimento psicológico, jurídico e social às crianças e adolescentes com histórico de violência e exploração sexual, estendendo o acompanhamento psicossocial aos seus familiares e agressores que se disponham ao tratamento psicológico.

Atendimento

O atendimento do projeto é feito no núcleo de Atendimento Psicossocial da Defensoria Pública, que fica na rua 24 de Maio, 321, Centro, de segunda a sexta-feira, das 8h às 14h.

O projeto conta com duas psicólogas e duas estagiárias de Psicologia. No caso de atendimento a agressores, estes serão recebidos em horários distintos. O atendimento psicológico visa à escuta terapêutica das crianças e adolescentes e acolhimento da família. O brincar lúdico é a principal técnica terapêutica para o tratamento.