Deslizamento de terra atinge quatro casas no Novo Israel: ‘foi desesperador’

A dona de casa Damiana Batista de Souza, 42, contou que estava em uma casa que desabou. Ela e as netas tiveram que sair pela janela porque as portas da residência foram obstruídas

Manaus – Pelo menos quatro casas foram atingidas em um deslizamento de terra ocorrido na manhã desta quinta-feira (10), na Rua Laudicéia, bairro Novo Israel, na zona norte de Manaus. Uma das residências desabou, tendo perda total. Não houve vítimas.

Segundo a dona de casa Damiana Batista de Souza, 42, o deslizamento ocorreu por volta das 10h e ela estava na casa que desabou com a filha, duas netas e o genro. “Eu estava deitada. Minha filha tinha levantado para dar a comida da bebê dela, quando ouviu um barulho e percebeu que o muro da casa do lado tinha caído aqui em casa. Foi aí que nós nos desesperamos”, relatou.

Ela contou, ainda, que quando percebeu a gravidade da situação, teve que sair com as netas pela janela porque as portas foram obstruídas. “Saí de lá com elas só com a roupa do corpo. Foi só tempo da gente sair da casa que tudo desabou. Eu achei que não fosse conseguir. Foi desesperador”, contou a dona de casa, em meio às lágrimas.

Um imóvel que fica do lado esquerdo da casa que desabou teve perda parcial. Outras duas casas que ficam nas proximidades correm alto risco de desabamento e a área precisou ser isolada.

Uma equipe do Corpo de Bombeiros foi acionada para a ocorrência. De acordo com o Tenente Gonzaga, comandante de emergência da operação, pela geografia do terreno, a causa do desabamento foi um deslizamento de terra. “Aliado às chuvas que vêm ocorrendo rotineiramente, essas situações tendem a acontecer”, explicou.

O secretário da Defesa Civil municipal, Cláudio Belém, também esteve no local e afirmou que essa é mais uma ocorrência causada por obras executadas em locais inapropriados. “São obras sem segurança em área de risco, onde um muro de contenção desabou e acabou pegando a casa de baixo, causando o desmoronamento”, afirmou.

Belém disse, também, que a casa de cima está completamente comprometida e precisará ser desocupada. “Pela declinidade acentuada em que essas casas se encontram e pelas chuvas, vamos ter que tirar essas residências. A Secretaria de Assistência Social já está no local para fazer o cadastro socioeconômico dessas famílias e realizar todos os trâmites e tirar essas famílias do local o mais rápido possível”, explicou o secretário.