Dificuldade para retirar cargas, após colisão entre embarcações, atrapalha buscas por desaparecidos

Nove pessoas seguem desaparecidos após um navio cargueiro, que vinha para Manaus, colidir com um comboio de balsas, no Pará. Cargas ainda estão no rio e dificultam as buscas

Karla Mendes / redacao@diarioam.com.br

Manaus – Familiares de vítimas que desapareceram após a colisão entre um navio cargueiro que vinha para Manaus e um comboio de balsas, no último dia 2, reclamam da demora nas buscas e da falta de informações sobre o trabalho realizado. A Marinha do Brasil realiza as buscas com apoio da Polícia Militar (PM) e do Corpo de Bombeiros.

Porém, a Marinha informou, por meio de assessoria de imprensa, que aguarda receber um planejamento da empresa Bertolini, responsável pelo comboio de balsas, para a retirada das cargas do rio, que deve facilitar os trabalhos de busca.

Acidente aconteceu, no último dia 2, em Óbidos, no Pará (Foto: Reprodução)

O carregador Carlos Edvan Mendes, familiar de Wandel Ferreira de Lima, uma das vítimas da colisão, relata que a família cobra providências e rapidez na procura do parente. “Se fosse filho de alguém importante logo seria achado, mas todos esses dias eles nos falam que estão esperando materiais chegarem pra agilizar e nunca chega. A gente não pode ter nem o corpo de um parente para pelo menos velar”, disse.

Carlos afirma, ainda, que a família acompanha diariamente os procedimentos feitos na área, mas ressalta que há dificuldades para receber informações. “Estamos todos muito tristes com tudo isso e eles só nos respondem que os mergulhadores não conseguem chegar no empurrador e nada mais”, completou.

A Marinha do Brasil afirmou que segue com as buscas em até 60 metros de profundidade, na região onde ocorreu a colisão, e que ainda aguarda um planejamento, por parte da empresa Bertolini, para a retirada das cargas no local.

A reportagem entrou em contato com a assessoria de imprensa da empresa Bertolini, que informou que iria averiguar a situação e, em seguida, enviar uma resposta sobre o caso. Até a publicação desta matéria, a empresa não se pronunciou.

O caso

No acidente, que ocorreu no estado do Pará, 11 pessoas foram atingidas e duas delas resgatadas no mesmo dia. Segundo a Marinha, um inquérito administrativo será instaurado para apurar as causas do acidente. Segundo noticiou o Jornal Hoje, da Rede Globo, a empresa Bertolini divulgou o nome dos nove desaparecidos após o acidente. São eles, Carlos Eduardo Bueno de Souza, César Lemos da Silva, Cleber Rodrigues Azevedo, Dárcio Vânio Rego, Dick Farney de Oliveira, Euclinger da Silva Costa, Ivan Furtado da Gama, Juraci dos Santos Brito e Wandel Ferreira de Lima.



SIGA-NOS NAS NOSSAS REDES