Eletrobras diz que fornecimento de energia elétrica é normalizado em Manaus

A energia na capital foi 100% normalizada na tarde desta quarta-feira (21), por volta das 18h, segundo informações da Eletrobras

Sofia Lorrane e agências/ redacao@diarioam.com.br

Manaus- A energia em todas as zonas de Manaus foi 100% normalizada na tarde desta quarta-feira (21), por volta das 18h, segundo informações da Eletrobras Distribuição Amazonas. O apagão foi causado pelo desligamento do linhão do Tucuruí, após um circuito do linhão que atende o Estado.

A energia na capital foi 100% normalizada (Foto: Divulgação)

De acordo com a Eletrobras, uma perturbação no Sistema Interligado Nacional (SIN) causou o desligamento de cerca de 18.000MW, segundo informou o Operador Nacional do Sistema (ONS), afetando vários Estados do país. A cidade de Manaus e região metropolitana também foram afetados.

As equipes do ONS estão dedicadas à recomposição dos sistemas Norte e Nordeste, segundo a concessionária. O ONS também informou que as causas de desligamento estão sendo investigadas e que novas informações serão atualizadas a qualquer momento.

A Manaus Ambiental também chegou a informar que o abastecimento de água da capital foi interrompido, na tarde desta quarta-feira (21), em todos os bairros da capital, por conta do apagão que atinge cidades do Norte e Nordeste. De acordo com a Manaus Ambiental, os sistemas serão religados a partir do normalização do fornecimento de energia.

Estados afetados

O apagão afetou o Amazonas e outros 12 estados do País, segundo informou o Operador Nacional do Sistema (ONS). O blecaute prejudicou mais de 70 milhões de pessoas e causou congestionamento no trânsito, em várias regiões do Brasil.

O problema foi registrado às 15h48 e foram afetados municípios de, ao menos, 13  estados do Norte e do Nordeste: Alagoas, Amapá, Amazonas, Bahia, Ceará, Maranhão, Pará, Paraíba, Piauí, Pernambuco, Rio Grande do Norte, Sergipe e Tocantins. Também houve registro de falta de energia em São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais, Paraná, Santa Catarina, Goiás, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul e Distrito Federal.

O problema foi causado pela falha em um disjuntor da subestação de Xingu, que é responsável pelo escoamento de praticamente toda a geração da usina de Belo Monte, no Pará. A falha provocou um colapso na distribuição de energia por mais de três horas, informou o ONS. As causas da falha no disjuntor estão sendo apuradas e devem ser conhecidas em 10 a 15 dias.

De acordo com o diretor-geral da ONS, Luiz Eduardo Barata Ferreira, a falha provocou a separação dos subsistemas Norte e Nordeste. No Norte, que exporta energia para o Nordeste, o excesso de energia levou ao desligamento das usinas de geração, o que atrasou ainda mais a recomposição na Região Nordeste, que hoje importa energia. Até 20h (horário Brasília), alguns Estados do Nordeste ainda estavam sem energia.

“Tivemos praticamente um colapso nessas duas regiões, com 30 circuitos desligados. Apenas Acre e Roraima não foram afetados porque não estão ligados ao sistema integrado. Alguns circuitos do Sul e Sudeste também tiveram que ser desligados, mas por poucos minutos, já que havia energia suficiente no sistema para atender essas duas regiões”, disse o diretor-geral da ONS.

** Atualizada às 20h14 para acréscimo de informações.