Em três anos, AM sobe 2,9% no índice de pobreza extrema, aponta estudo

O maior estado brasileiro é o 8º que mais cresceu neste índice, ficando atrás de Amapá, Roraima, Maranhã, Piauí, Sergipe, Bahia e Acre, de acordo com a Tendências Consultoria

Édria Caroline / redacao@diarioam.com.br

Manaus – O Amazonas subiu 2,9% no índice de pobreza extrema de 2014 à 2017, de acordo com um estudo feito pela empresa paulista Tendências Consultoria. Apenas Tocantins e Paraíba não entraram na lista de estados e tiveram aumento neste índice.

O Amazonas subiu 2,9% no índice de pobreza extrema de 2014 à 2017, de acordo com um estudo feito pela empresa paulista Tendências Consultoria. (Foto: Arlesson Sicsú/26/01/09)

O maior estado brasileiro é o 8º que mais cresceu neste índice, ficando atrás de Amapá, Roraima, Maranhã, Piauí, Sergipe, Bahia e Acre, sendo este último o estado que mais cresceu no número de famílias com renda familiar per capita de R$ 85 por mês, totalizando um aumento de 5,6% nos últimos 4 anos.

Analisando pela média nacional, o Brasil saltou de 3,2% de famílias em extrema pobreza em 2014 para 4,8% em 2017.

As piores acentuadas aconteceram nos estados no Nordeste, em especial na Bahia, Sergipe e Piauí. No Maranhão, o crescimento de extrema pobreza cresceu 12% só em 2017.

De acordo com a pesquisa, a expectativa é de que em 2018 estejam ocorrendo pequenas melhoras na taxa de extrema pobreza no País.