Em um ano, 865 pessoas são vítimas de estupro no Amazonas

Dados do 12º Anuário Brasileiro de Segurança Pública mostram, também, o aumento de 7% nos crimes de feminicídio entre 2016 e 2017

Gisele Rodrigues / redacao@diarioam.com.br

Manaus – Em todo ano passado, 865 pessoas foram vítimas de estupro no Amazonas, segundo os registros do 12º Anuário Brasileiro de Segurança Pública, divulgado na quinta-feira (9). São 21 casos a cada 100 mil mulheres no Estado, em 2017. O levantamento não considera nos dados o número de violência sexual contra vulnerável.

Em Manaus, crimes contra as mulheres são registrados na DECCM. (Foto: Eraldo Lopes)

Em média, uma vítima é estuprada a cada 12 horas na capital, conforme dados do anuário. Outras 118 vítimas sofreram uma tentativa de violência sexual.

Em outubro do ano passado, Denny Vieira da Silva, 30, chamado pela polícia de ‘Maníaco do Ben-Hur’ suspeito de, pelo menos, quatro estupros, foi preso e disse que no dia do crime estava drogado e estava com a Bíblia na mão porque usava as folhas para enrolar cigarros de maconha. Ele contou, ainda, que abordou a vítima apenas para perguntar as horas. “Mas como ela disse que não tinha, de uma forma grosseira, o ‘cão’ entrou em mim e fiz o que fiz. Depois, roubei e mandei ela ir embora”, contou na época.

Violência doméstica

O anuário mostrou o aumento de 7% nos crimes de feminicídio entre 2016 e 2017. No ano passado, 73 mulheres foram assassinadas por seus maridos e ex-companheiros.

Já entre os casos de violência doméstica, 2.578 registros foram feitos no Amazonas. Em média, sete mulheres foram espancadas diariamente no Estado.

Até julho deste ano, 16.087 processos de violência doméstica receberam sentença ou foram encerrados pelo Tribunal de Justiça do Estado (TJAM). Nesta semana em que a Lei 11.340 de 2006 (Lei Maria da Penha) completa 12 anos, o judiciário revelou que outras 14 mil mulheres aguardam a decisão da justiça nas ações da Lei Maria da Penha.