Enterro de soldado da PM é marcado por várias homenagens

Grasiano Monteiro Negreiros morreu na madrugada de sábado (5), após ser atingido por disparos feitos pelo tenente da Polícia Militar Joselito Pessoa Anselmo

Beatriz Gomes / redacao@diarioam.com.br

Manaus – Familiares, amigos e colegas se despediram na tarde deste domingo (6) do soldado Grasiano Monteiro Negreiros, 36, no Cemitério Parque Tarumã, zona oeste de Manaus. O enterro contou com diversas homenagens ao cabo que morreu na madrugada de sábado (5), após ser atingido por disparos feitos pelo tenente da Polícia Militar Joselito Pessoa Anselmo.

Além do soldado, os disparos mataram o sargento Edizandro Santos Louzada e feriram o major Ludernilson Lima de Paula e o borracheiro Robson Almeida Rodrigues, que estava presente no enterro. O sargento também foi enterrado no Parque Tarumã, no domingo de manhã.

A mãe do soldado morto recebeu a bandeira do Estado com a dobradura oficial da Polícia Militar como parte das homenagens. Após o enterro, em entrevista à REDE DIÁRIO DE COMUNICAÇÃO (RDC), o irmão de Grasiano, Alessandro Negreiros, 42, pediu justiça para consolo da família. “Espero que a justiça seja feita porque é um cidadão desequilibrado que não tem dignidade e nem honra pra ser um policial militar, que serve para proteger e não para matar”, disse Alessandro, que é policial militar reformado.

Saiba mais: SSP determina investigação sobre homicídio e tentativa de homicídio entre policiais militaresBebida alcoólica foi encontrada em viatura da PM onde ocorreram disparos

Grasiano tinha 11 anos de corporação e estava lotado, atualmente, na 12ª Cicom. Segundo colegas de trabalho, ele era um homem tranquilo, simpático e muito alegre. “É uma perda grande não só para os amigos, como para a corporação também, porque ele desempenhava muito bem o trabalho dele”, lamentou o soldado William Almeida, 30.

Vizinho da família, Otavio Uchoa, 42, também lamentou a morte do cabo que era muito querido no bairro Coroado, zona leste, onde morou durante parte da vida. “Morou muitos anos no bairro e sempre se deu bem com todos, muito triste tudo isso”, disse.

O corpo de Grasiano foi velado na Igreja Assembleia de Deus, no bairro Coroado. Durante o cortejo até o cemitério, policiais em viaturas da PM prestaram homenagem ao cabo, fazendo um corredor na Avenida Max Teixeira, e batendo continência em frente ao carro fúnebre. Ele deixou uma esposa e três filhas.

Entenda o caso

O tenente da Polícia Militar Joselito Pessoa Anselmo é o principal suspeito de ter atirado contra o major Ludernilson Lima de Paula, o sargento Edizandro Santos Louzada, o cabo Grasiano e o borracheiro Robson Almeida Rodrigues, dentro de uma viatura disfarçada da PM, um Voyage de cor prata, na madrugada de sábado. O sargento e o cabo morreram no local. O major foi baleado no ombro direito e permanece internado sem perigo de morte, enquanto o borracheiro teve ferimentos leves. O tenente Anselmo foi preso em flagrante.

A investigação aponta que os envolvidos retornavam de uma festa na viatura da PM, onde foi encontrado um balde contendo bebidas alcoólicas. A suspeita é que os disparos tenham sido realizados de dentro do veículo pelo tenente contra o major, depois contra o cabo e, em seguida, contra os dois outros ocupantes do banco de trás, que conseguiram escapar.