Fiscalização de combate a mototaxistas clandestinos termina em confusão no Armando Mendes

Pai e filho ficaram machucados e mais de 50 pessoas acompanharam o tumulto. A SMTU informou que homens tentaram impedir que uma motocicleta fosse apreendida

Girlene Medeiros / redacao@diarioam.com.br

Manaus – Uma fiscalização de combate a mototaxistas clandestinos terminou em confusão na tarde desta quarta-feira (11), no bairro Armando Mendes, na zona leste de Manaus. Pai e filho ficaram machucados e mais de 50 pessoas acompanharam o tumulto. A Superintendência Municipal de Transportes Urbanos (SMTU) informou que homens tentaram impedir que uma motocicleta fosse apreendida.

A fiscalização ocorreu na Avenida Itacolomy a alguns metros do 25º Distrito Integrado de Polícia (DIP). Os fiscais flagraram a prática de transporte clandestino a passageiros de mototáxi, segundo informou a SMTU.

Ainda conforme o órgão, durante a apreensão da motocicleta, houve resistência dos moradores que acompanhavam a fiscalização. Policiais militares tentaram conter as pessoas, mas houve tumulto. De acordo com a SMTU, um motorista tentou impedir que uma motocicleta fosse levada e caiu no chão, machucando um dos braços.

Em seguida, um grupo de motociclistas, identificados com camisa de mototáxi, cercaram o caminhão que funciona como plataforma da SMTU para tentar retirar as motos apreendidas, conforme informou a superintendência de transporte. A SMTU informou que acionou o apoio dos policiais militares para resguardar a segurança dos fiscais.

Jeferson da Costa Araújo, 25, e o pai dele, Djalma Cavalcante Araújo, 53, foram levados ao 25º DIP para prestar depoimento. Até o fechamento desta página, a Polícia Civil não havia informado se os homens ficaram presos na delegacia.

A mãe de Jeferson e mulher de Djalma, Márcia Medeiros da Costa, 43, disse que o filho foi abordado pelos policiais militares dentro do lava jato da família, também localizado à Avenida Itacolomy. Segundo ela, os policiais detiveram Jeferson e Djalma tentou intervir. Ela disse que foi nesse momento que o filho teve o braço esquerdo machucado e o marido teve a perna esquerda machucada. “Todo mundo ficou revoltado, porque nós não somos bandidos. Atiraram dentro do lava jato e pegaram meu filho com um mata-leão”, afirmou Márcia.

A mulher acrescentou que o filho e o marido foram levados, pelos policiais militares, para receber atendimento médico no Hospital e Pronto-Socorro João Lúcio, na zona leste. A reportagem flagrou o momento em que Jeferson estava com o braço esquerdo enfaixado e Djalma com a perna esquerda enfaixada.

Vídeos compartilhados em grupos de aplicativo de mensagens e redes sociais mostram o momento em que dois policiais militares tentaram conter, pelo menos, quatro pessoas que buscavam recuperar uma motocicleta.

Segundo o capitão Anderson Saif, do Departamento de Comunicação Social da Polícia Militar, um dos homens flagrados como mototaxista clandestino está sendo advertido pela segunda vez. O capitão não mencionou se essa pessoa seria Jeferson. “Os familiares tentaram tirar o veículo da plataforma. A PM teve que intervir”, disse o militar.

Outras equipes da PM foram enviadas até o local e havia viaturas da 4ª, 9ª, 11ª e 28ª Companhia Interativa Comunitária (Cicom), além de viaturas da 25ª que atuam no bairro Armando Mendes, e também da Ronda Ostensiva Cândido Mariano (Rocam) e Força Tática.