Funcionários e clientes de empresa de formatura registram B.O; donos seguem sumidos

Os funcionários alegam falta de pagamento, já os formandos, que estavam com as seus bailes de formatura agendados para este primeiro semestre não tiveram mais nenhum retorno por parte da Carlitos Formaturas

Édria Caroline / redacao@diarioam.com.br

Manaus – Pelo menos 30 pessoas, entre funcionários e clientes da empresa Carlitos Formaturas estiveram no 22º Distrito Integrado de Polícia (DIP), na manhã desta terça-feira (17), para registrar Boletim de Ocorrência (B.O) contra a empresa. Os funcionários alegam falta de pagamento, já os formandos, que estavam com as seus bailes de formatura agendados para este primeiro semestre não tiveram mais nenhum retorno por parte da empresa. Os proprietários da empresa Diogo Aguilar e Rodrigo Aguilar, segundo funcionários e clientes, seguem em paradeiro desconhecido.

De acordo com funcionários da empresa, o pagamento deles está atrasado há cerca de seis meses. “Na sexta-feira (13) a tarde eles fizeram uma reunião com a gente, falando que resolveriam a situação, que era pra todo mundo ficar calmo e nós íamos receber, mas não deu um prazo, porque a situação financeira da empresa era bem crítica”, diz a funcionária Cláudia Carvalho.

No último sábado (14), eles foram informados por um dos proprietários que estavam dispensados e que a empresa não funcionaria. “No sábado ainda ligamos para o telefone deles (Diogo e Rodrigo) e só chamava e não atendiam. Agora só dá fora de área”, explica Cláudia.

Funcionários e clientes da empresa Carlitos Formatura registraram queixa no 22º Distrito Integrado de Polícia (DIP), nesta terça-feira (17) (Foto: Raquel Miranda)

O advogado do proprietário do imóvel onde funcionava a empresa, Lindomar Lima, diz que os donos da Carlitos Formaturas também sumiram devendo um montante de R$ 15 mil para o seu cliente. “Quando tomamos conhecimento da polêmica envolvendo a empresa, fomos pedir o imóvel. Na última quinta-feira (12) tivemos uma reunião com eles e ficou combinado de que nesta segunda (16) levaríamos um acordo, onde eles se comprometeriam em devolver o imóvel até o dia 30 deste mês. Eles ainda pediram para que não fizéssemos nenhum tipo de alarde com os funcionários”, afirma o advogado. Ele ainda contou que, ao chegar no local, na segunda-feira, o imóvel já havia sido saqueado.

A formanda do curso de Fonoaudiologia, Verônica Cristina, estava com a data do baile de formatura agendado para o último dia 14, o que não ocorreu. “Duas semanas antes da data do meu baile, eu paguei R$ 1 mil e ficou faltando R$ 400 para eu quitar o carnê. Dois dias depois eles me chamaram para conversar, dizendo que não teriam condições de fazer a nossa festa e nem de devolver o nosso dinheiro. Entrei em desespero”, conta. Verônica é a presidente da comissão de formatura de uma turma com 16 formandos, onde cada um pagou R$ 5 mil.

A equipe de reportagem da REDE DIÁRIO DE COMUNICAÇÃO (RDC) entrou em contato com o advogado dos empresários Diogo e Rodrigo Aguilar, mas ele na pode falar com a equipe no momento da ligação.

Empresa saqueada

Oito turmas de formandos, representadas por suas respectivas comissões, encontraram a empresa Carlitos Formatura saqueada na manhã desta segunda-feira (16). A empresa havia sido contratada pelos alunos para serviços de festas de formatura, mas havia pedido aos formandos para que as festas fossem adiadas, alegando que a empresa passava por dificuldades financeiras.

Cada formando teria pago à empresa, parceladamente, de R$ 4 mil a R$ 5 mil. O valor arrecadado pela empresa pelas oito turmas chega a um montante de R$ 1 milhão.

À equipe de reportagem, funcionários afirmaram que ao chegarem para trabalhar nesta segunda-feira, já encontraram a empresa completamente revirada, mas sem sinais de arrombamento. Os funcionários ainda tentaram entrar em contato com os proprietários, mas os celulares só davam desligado.