Paralisação é descartada e 100% dos ônibus vão circular em Manaus, diz MPT

Sem acordo nesta quinta-feira (6), uma nova rodada de negociação foi confirmada para a próxima quinta-feira (13), entre o Sindicato dos Rodoviários e o Sinetram

Jucélio Paiva / redacao@diarioam.com.br

Manaus – A paralisação parcial dos rodoviários, prevista para esta sexta-feira (7), está suspensa em Manaus. Com isso, 100% da frota de ônibus deve operar em todas as zonas da capital, segundo informou o procurador-chefe do Ministério Público do Trabalho (MPT), Jorcinei Dourado do Nascimento.

Sem acordo nesta quinta-feira (6), uma nova rodada de negociação foi confirmada para a próxima quinta-feira (13), entre o Sindicato dos Trabalhadores em Transporte Rodoviário e Urbano Coletivo de Manaus e no Amazonas (STTRM) e o Sindicato das Empresas do Transporte de Passageiros do Estado do Amazonas (Sinetram).

Procurador-chefe do Ministério Público do Trabalho (MPT), Jorcinei Dourado do Nascimento deu entrevista à imprensa na noite desta quinta (Foto: Eraldo Lopes/RDC)

No fim da tarde desta quinta, a presidente do Tribunal Regional do Trabalho (TRT 11ª Região), desembargadora Eleonora de Souza Saunier, determinou que 70% da frota de de ônibus opere a partir das 0h, desta sexta-feira (7), caso fosse deflagrada a greve anunciada dos rodoviários.

Após duas horas renegociação, o presidente do Sindicato dos Trabalhadores em Transportes Rodoviários de Manaus (STTRM), Givancir Oliveira, pediu o término da reunião e solicitou uma nova rodada de negociação para a próxima quinta-feira.

Entre outras reivindicações, os rodoviários reivindicam o cumprimento do acordo do dissídio coletivo de 2018/2019 (Foto: Eraldo Lopes/RDC)

Segundo o Procurador-chefe do MPT, Jorcinei Dourado do Nascimento, esse foi o terceiro dia de negociação entre os dois sindicatos, que não chegaram a um acordo.

Os rodoviários reivindicam o cumprimento do acordo do dissídio coletivo de 2018/2019, definido durante o movimento grevista de junho deste ano, além de outros benefícios, como hora extra, décimo terceiro e plano de saúde.