Peritos terão reajuste salarial de 42% e prédio reformado

Vice-presidente do sindicato afirma que o reajuste ainda não foi satisfatório. Governo anunciou que a recomposição salarial já começa a ser paga a partir de fevereiro

Gisele Rodrigues / redacao@diarioam.com.br

Manaus – Após quatro anos sem reajuste, o Governo do Estado anunciou, em Assembleia Geral dos peritos oficiais do Estado, no auditório do Instituto Médico-Legal (IML), nesta sexta-feira (12), reajuste de 42% no salário dos peritos e legistas da polícia científica do Amazonas. Conforme o sindicato da categoria, a remuneração total dos peritos é de R$ 8.145.20, atualmente.

Peritos serão remanejados para a Academia de Polícia Civil de Manaus durante reforma de prédio (Foto: Sandro Pereira)

Mesmo com o valor, o vice-presidente do Sindicato dos Peritos Oficiais do Estado Amazonas (Sinpoeam), Marcelo Muratore, afirma que o reajuste ainda não foi satisfatório. O governador em exercício e secretário de Segurança Pública, Bosco Saraiva, anunciou que a recomposição salarial dos peritos e legistas já começa a ser paga a partir do mês de fevereiro.

“Não era exatamente o que queríamos, estamos há quatro anos sem reajuste, mas a princípio nós aceitamos. Era o que poderiam pagar”, disse.

De acordo com Bosco Saraiva, a proposta do governo é equiparar salarialmente peritos e delegados. “Já vínhamos trabalhando dentro da Delegacia Geral a possibilidade real do reajuste, seguindo a orientação do Amazonino. A polícia científica faz parte do corpo da Secretaria de Segurança, então é o mesmo tratamento”, disse Saraiva.

Além do reajuste, a estrutura do prédio usada pelos peritos vai ser reformada, segundo informou Muratore. A partir deste sábado (13), os peritos serão remanejados para o prédio da Academia de Polícia Civil de Manaus (Acadepol).

“Em relação a estrutura, dois prédios foram disponibilizados para a gente ficar enquanto será contruído o complexo, para todos os institutos ficarem no mesmo lugar. Estamos sem condições de trabalhar, nosso prédio já tem 30 anos”, disse Muratore.

Diretores entregam cargos

No último dia 9 deste mês, os diretores do Departamento de Polícia Técnico-Científica (DPTC), Jefferson Mendes de Holanda, do Instituto Médico Legal (IML), Maria Margareth Vidal, e do Instituto de Identificação, Ivanilson de Araújo Mota, entregaram os cargos à Secretaria de Segurança Pública do Estado (SSP-AM).

A falta de investimentos financeiros nos três setores da segurança pública foi apontada, por Jefferson Mendes, como o principal motivo para o pedido de desligamento dos cargos.

No documento, assinado pelos três ex-diretores e enviado, na última sexta-feira (5), ao vice-governador do Amazonas e secretário da SSP, Bosco Saraiva, e ao delegado-geral da Polícia Civil (PC-AM), Mariolino Brito, os diretores criticam a falta de investimentos. Além disso, eles relatam que conseguiram, por meio de parcerias com outros órgãos do Estado, R$ 2,6 milhões, mas que R$ 1,9 milhões serão devolvidos para a secretaria, porque o DPTC, o IML, e o Instituto de Identificação não podem fazer uso do dinheiro sem autorização da SSP-AM.