PMs prometem greve no próximo dia 15 caso parecer da PGE seja mantido

Um protesto foi realizado, na manhã desta quinta-feira, contra o parecer que impede a promoção de militares por tempo de serviço

Stephane Simões / redacao@diarioam.com.br

Manaus – Os policiais militares do Amazonas prometeram paralisar o serviços, no próximo dia 15 de março, caso o governo do Estado não derrube o parecer da Procuradoria Geral do Estado (PGE) que impede a promoção de militares por tempo de serviço, o que é previsto em lei. Um protesto da categoria foi realizado, na manhã desta quinta-feira (1º), em frente a sede do governo, no bairro Compensa, zona oeste de Manaus.

(Foto: Pablo Trindade)

“Nós iremos para o quartel, mas ninguém vai sair. Nossos familiares estarão na porta dos quartéis protestando pelos nossos direitos”, afirmou o presidente da Associação de Praças do Estado do Amazonas (Apeam), Gerson Feitosa.

Após o protesto, na manhã desta quinta-feira, os representantes do Estado receberam os presidentes das associações. Segundo Feitosa, o chefe da Casa Civil afirmou que o Estado desconhece o parecer da PGE. “Ele disse que o Estado não tinha conhecimento e que não autorizaram o comando (da Polícia Militar) a assinar o parecer”, disse o presidente da Apeam.

Na reunião, ficou decidido que as associações protocolassem um documento e que aguardassem o retorno do governador, que está viajando, para marcarem uma reunião com o mesmo, conforme informou Feitosa.

“Nós iremos protocolar o documento que eles pediram, mas a nossa programação continua. Eles nos disseram que as informações que receberam, por parte dos oficiais, é de que estávamos todos satisfeitos com a decisão, e não estamos felizes com isso”, ressaltou Feitosa.

O presidente da Apeam afirmou que deixaram bem claro, na reunião, que a operação continua. Os militares só passarão a prender em casos de flagrante delito.

(Foto: Pablo Trindade)