Aposentado é preso suspeito de estuprar e fotografar partes íntimas de irmãs

A polícia prendeu o aposentado Vagno Rodrigues da Silva, 48, suspeito de ter estuprado, várias vezes, duas irmãs, uma de 9 anos e outra de 11 anos

Girlene Medeiros / redacao@diarioam.com.br

Manaus – A polícia prendeu o aposentado Vagno Rodrigues da Silva, 48, suspeito de ter estuprado, várias vezes, duas irmãs, uma de 9 anos e outra de 11 anos. Além do abuso sexual, o homem também é suspeito de fotografar as partes íntimas das garotas. Vagno, que nega os crimes, foi apresentado à imprensa, na tarde desta terça-feira (15), na Delegacia Especializada em Proteção à Criança e ao Adolescente (Depca), na zona oeste de Manaus.


Aposentado é preso suspeito de estuprar e fotografar partes íntimas de irmãs. (Foto: Sandro Pereira)

Segundo a delegada Joyce Coelho, titular da Depca, os crimes aconteceram no Colônia Santo Antônio, na zona norte, bairro onde Wagno mora. As denúncias apontam que crianças foram vistas, entrando e saindo, da casa de Vagno.

De acordo com a delegada, as investigações iniciaram em dezembro de 2017, após denúncias anônimas feitas ao Ministério Público e ao Disque 100. Joyce informou que Vagno oferecia alimentos e dinheiro em troca dos abusos sexuais contras as duas irmãs. A delegada acrescentou que as crianças passavam o dia na casa do homem e, por vezes, até dormiam no local.

De acordo com a polícia, esses momentos eram a oportunidade para o homem tocar nas ‘partes íntimas’ das meninas, o que a polícia chama de ‘atos libidinosos’. “Segundo a mãe das crianças, ele a conheceu em uma igreja. Ele a abordou, ofereceu um emprego de diarista e ela passou a frequentar a casa dele com as pequenas”, disse Joyce, acrescentando que o pai das garotas é alcoólatra e a família é vulnerável socialmente.

À polícia, a mãe das meninas, uma mulher de 32 anos, negou saber dos crimes. As meninas confirmaram que eram abusadas pelo aposentado. No momento da prisão, a polícia apreendeu, com Vagno, um cartão de memória contendo as imagens que ele registrava das ‘partes íntimas’ das garotas.

Apesar disso, Vagno negou os crimes. “Eu criava elas como filhas. Não sei como as fotos surgiram”, disse o aposentado, acrescentando que a irmã dele, que mora próximo a ele, está envolvida na denúncia. Para ele, a mulher está tentando prejudicá-lo por causa de uma herança.

A Depca recebeu denúncias de que Vagno também estava relacionado ao tráfico de drogas, furtos, receptação, violência doméstica e estupro de vulnerável. Os crimes devem ser investigados por outra delegacia de polícia. A companheira de Vagno também está sendo investigada sob suspeita de ela saber dos crimes. O aposentado é deficiente físico e usa muletas. Ele tem filhas.

A Polícia Civil informou que Vagno foi preso, na noite da última sexta-feira (11), na Rua Santa Luzia, segunda etapa do bairro Compensa, zona oeste.

A prisão ocorreu em cumprimento a um mandado de prisão temporária,de 30 dias, por estupro de vulnerável. O mandado foi expedido, no dia 28 de março deste ano,pela juiz de Direito Patrícia Chacon, da Vara especializada em Crimes Contra a Dignidade Sexual de Crianças e Adolescentes.

Vagno foi indiciado por estupro de vulnerável e deve seguir para uma das prisões da capital. Ele também foi indiciado pelo artigo 240 do Estatuto da Criança e do Adoelscente (ECA) por registrar as ‘partes íntimas’ das meninas.