Carro de taxista encontrado morto é localizado na estrada de Autazes

Segundo a polícia, o veículo foi abandonado após colidir com a cerca de um sítio. O taxista, que desapareceu após pegar uma corrida na Cachoeirinha, foi encontrado estrangulado na última quarta-feira

Jucélio Paiva / redacao@diarioam.com.br

Manaus – O carro Fox, de placas NOO-8531, do taxista Márcio Luiz Macedo da Silva, 46, encontrado estrangulado na última quarta-feira (28), foi localizado no quilômetro 2 da estrada de Autazes (a 113 quilômetros a sudeste de Manaus), na tarde do último sábado (3). O veículo foi abandonado no local após colidir com a cerca de um sítio, conforme informações do sargento Edson Carvalho, do 3º Pelotão da 8ª Companhia Independente da Polícia Militar (CIPM) do Careiro da Várzea (distante 25 quilômetros a leste da capital).

Veículo foi abandonado após colidir com a cerca de um sítio (Foto: Divulgação/PM)

O taxista Márcio Luiz foi encontrado estrangulado e com uma corda amarrada nas mãos e enrolada no pescoço, no ramal Água Branca 2, no quilômetro 35 da AM-010. A vítima estava desaparecida desde o dia 26 de fevereiro, após ser vista pela última vez saindo do ponto de táxi onde trabalhava, na área do bairro Cachoeirinha, zona sul de Manaus, para fazer uma corrida.

De acordo com o sargento Edson Carvalho, o dono do sítio, Antonio Souza Costa Filho, 58, entrou em contato com a polícia e informou que um carro tinha sido abandonado, no local, após bater na cerca da propriedade dele, na madrugada da última sexta-feira (2).

Segundo o sargento, o veículo estava batido e todo revirado por dentro. Os policiais confirmaram que o carro pertencia ao taxista Márcio Luiz, após constatar que o veículo estava com restrição de roubo. “O carro estava com o porta malas e janelas todas abertas, e quase todo destruído”, disse.

Ainda segundo o sargento Edson Carvalho, o táxi foi levado para o pátio do 3º pelotão da PM, no Careiro da Várzea, e a família do taxista foi informada para ir ao local fazer o reconhecimento e liberação do veículo. A morte do taxista segue sob investigação na Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros (DEHS).