Casal confessa que matou taxista estrangulado para roubar veículo, diz polícia

Segundo a polícia, os criminosos planejavam roubar o táxi para, em seguida, roubar motos. O taxista Márcio Luiz Macedo da Silva foi encontrado morto no último dia 28 de fevereiro

Girlene Medeiros / redacao@diarioam.com.br

Manaus – A Polícia Civil do Amazonas (PC-AM) prendeu um casal suspeito de roubar e matar estrangulado o taxista Márcio Luiz Macedo da Silva, 46, encontrado no último dia 28 de fevereiro, na Rodovia AM-010. Alexandre Florêncio da Silva, 24, e Meirivane Martins de Oliveira, 22, confessaram ter participação no latrocínio, segundo informou o delegado da Delegacia Especializada em Roubos, Furtos e Defraudações (Derfd), Adriano Félix.

De acordo com Félix, os dois disseram, em depoimento, que usaram uma corda para estrangular o taxista. “Eles ja saíram com uma corda para praticar o crime. Amarram e colocaram (o taxista) no porta-malas”, disse Félix, acrescentando que Alexandre já possui passagem pela polícia por roubo majorado.

Alexandre e Meirivane foram indiciados por latrocínio (Foto: Eraldo Lopes)

O casal foi preso, na madrugada desta terça-feira (13), na Comunidade Bom Jesus, localizada no quilômetro 32 da estrada que liga as cidades Autazes e Careiro da Várzea, após 15 dias de investigação, que tiveram início no dia 26 de fevereiro, quando o taxista desapareceu.

Com Florêncio e Meirivane, o delegado informou que foi apreendido o tablet do taxista. Segundo o delegado, durante a investigação, os policiais descobriram que o casal estava morando em uma casa na Comunidade Bom Jesus.

No momento da abordagem policial, segundo Félix, Alexandre tentou fugir mas foi contido por um tiro, disparado por um dos policiais da Especializada, que o atingiu na perna esquerda. Ainda segundo o titular da Derfd, Alexandre foi levado para um hospital da capital, onde recebeu atendimento médico e foi liberado em seguida.

Ainda de acordo com o delegado, os presos afirmaram que tinham a intenção de roubar o carro do taxista para, em seguida, roubar motocicletas. Alexandre e Meirivane foram indiciados por latrocínio. De acordo com a Polícia Civil, a Derfd solicitou à Justiça o mandado de prisão preventiva em nome dos presos.

O crime

O titular da Derfd afirmou que o taxista estava no trabalho dele, na noite do dia 26 de fevereiro, em um ponto de táxi, na Avenida Codajás, bairro Cachoeirinha, zona sul, quando deixou o local, por volta de 18h30, para fazer uma corrida, levando Alexandre, Meirivane e um outro homem, identificado pela polícia como Anderson Ferreira de Almeida, 24, o ‘Chuck’, que está foragido.

‘Chuck’ está foragido (Foto: Eraldo Lopes)

Félix disse que o trio tinha uma arma de fogo e que eles anunciaram o roubo. Durante o assalto, segundo o delegado, ‘Chuck’ e Alexandre discutiram sobre matar o taxista, já que Alexandre queria matar, além de roubar o taxista.

Depois do crime, ‘Chuck’ desceu do táxi, no bairro Armando Mendes, zona leste. O carro do taxista, modelo Fox, de placas NOO-8531, de cor branca, foi encontrado no dia 3 de março, em Autazes, pela Polícia Militar da cidade. De acordo com o delegado, o trio pintou algumas partes do carro e fez mudanças na placa para disfarçá-lo.

Em apresentação à imprensa, na tarde desta terça-feira, na sede da Derfd, o casal não quis falar com a reportagem. Presente na entrevista coletiva, o presidente da Cooperativa dos Taxistas Autônomos de Manaus, José Pereira, solicitou que a polícia aja para prender ‘Chuck’, terceiro suspeito de ter envolvimento no latrocínio. “Queremos Justiça”, disse.