Casal é achado enforcado dentro de chácara no Parque das Laranjeiras; polícia suspeita de latrocínio

Além do enforcamento, a polícia suspeita que o casal tenha sido agredido com pancadas e com objeto pontiagudo. Corpos foram encontrados na tarde desta quarta-feira (13)

Girlene Medeiros / redacao@diarioam.com.br

Manaus – Um casal foi encontrado morto, na tarde desta quarta-feira (13), dentro da chácara onde funciona a empresa de paisagismo das vítimas, na Rua Barão de Rio Branco, no Parque das Laranjeiras, zona centro-sul de Manaus. Maria Soliange Alves Vieira, 39, e Kazuyssu Takano, 68, podem ter sido vítimas de latrocínio, segundo suspeita da Polícia Civil.

Maria Soliange estava com mãos, pés e pescoço amarrados com camisa e corda da empresa. O corpo estava amarrado a uma árvore. Já o corpo de Takano estava amarrado nos pés e pescoço com lacres plásticos, e também com corda e camisa.

Além do enforcamento, a polícia suspeita que o casal tenha sido agredido com pancadas e com objeto pontiagudo como o cabo de um machado que foi encontrado próximo aos corpos, segundo informou o delegado plantonista do 12º Distrito Integrado de Polícia (DIP), Jhony Clei.

Os corpos estavam distantes 15 metros um do outro. De acordo com o delegado, Maria Soliange buscava, diariamente, o filho, de oito anos de idade, na escola no fim da manhã. Nesta quarta, a direção da escola estranhou ela não ter ido buscar o menino.

A equipe da escola ligou para a mulher e não conseguiu contato. Ligaram também para parentes da vítima. Uma irmã de Maria Soliange, que não teve o nome divulgado, foi atrás do casal na empresa e encontrou o corpo da mulher no local.

Os policiais foram acionados para a ocorrência do homicídio e, quando chegaram ao local, após investigação, encontraram o corpo do homem. “Tudo ainda deve ser investigado, mas é possível que um grupo tenha feito isso buscando algo, algum dinheiro por exemplo”, afirmou o delegado.

A suspeita de latrocínio se deve pelas circunstâncias com que os corpos foram encontrados. A polícia ainda investiga para identificar o que pode ter sido roubado do casal. O caso deve ser investigado pela Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros (DEHS).