Condenado em 2017 por chacina morre no Centro de Detenção Provisória

A Seap afirmou que a equipe médica da unidade prisional atestou, em análise preliminar, que o homem sofreu uma crise convulsiva, supostamente associada a epilepsia

Stephane Simões / redacao@diarioam.com.br

Manaus – Um homem morreu, na tarde desta terça-feira (4), no Centro de Detenção Provisória Masculino (CDPM1), no quilômetro da BR-174. Segundo a Secretaria de Estado Administração Penitenciária (Seap), Adriano Rosa de Lima, 30, sofreu uma crise convulsiva. O laudo, com a causa da morte, ainda não foi atestado pelo Instituto de Medicina Legal (IML)

O interno estava alojado na cela 11, do anexo inferior do CDPM 1. A Seap afirmou que a equipe médica da unidade prisional atestou, em análise preliminar, que o homem sofreu uma crise convulsiva, supostamente associada a epilepsia.

Em nota, a Seap disse, ainda, que enfermeiros e agentes de escolta foram acionados e removeram o interno à enfermaria da unidade prisional, mas durante o procedimento médico foi constatado que o mesmo já não apresentava os sinais vitais. Ele dividia a cela 11 com outros dois internos.

Adriano ingressou no CDPM 1, no dia 30 de abril de 2013. De acordo com a Seap, ele foi condenado, no dia 31 de outubro de 2017, pela chacina e morte de uma mulher e duas crianças de 13 e seis anos, no bairro Alvorada, zona centro-oeste. No crime, ele e mais dois cúmplices, tentaram matar, também, um idoso de 65 anos e um deles estuprou a vítima de 13 anos. Adriano foi condenado a 70 anos de reclusão em regime fechado.