Criança morre com tiro após disparo acidental; a arma era do pai dele

Segundo informações da mãe do menino, ele passava os finais de semana alternados com o pai e ela ficou sabendo do ocorrido por volta das 14h45

Édria Caroline / redacao@diarioam.com.br

Manaus – Ioseep Bismark da Silva Ribeiro, 9, foi morto após um disparo de arma de fogo causado acidentalmente pela própria vítima na casa onde estava com o pai e a madrasta, no bairro Mutirão, zona norte de Manaus.

De acordo com informações da mãe da criança, a atendente de lanchonete Paulina da Silva Lima, Ioseeph passava os finais de semana alternados com o pai e ficou sabendo do ocorrido por volta das 14h45. “Já me ligaram falando que ele estava no Joãozinho (hospital). Quando eu cheguei lá, já encontrei meu filho morto e eu não sei o que aconteceu”, diz a mãe do menino.

Ioseep Bismark da Silva Ribeiro, 9, morreu após disparo acidental efetuado pela própria vítima (Foto: Divulgação)

Ainda segundo Paulina, a única coisa que ela ficou sabendo é que a criança estava em quarto e avistou a arma de fogo, foi quando as pessoas que estavam na casa ouviram um disparo e viram Ioseeph no chão, ensanguentado. A arma de fogo pertence ao pai da criança, um policial militar da Ronda Ostensiva Candido Mariana (Rocam), identificado como José Ribamar.

A delegada plantonista da Delegacia Especializada em Proteção à Criança e ao Adolescente (Depca), Juliana Viga, disse que, em depoimento, José Ribamar afirmou que a arma estava travada em uma prateleira em um dos quartos da casa. “Ele está bem abalado, chorando bastante, mas disse que sempre colocava a arma travada em locais altos para evitar que algo acontecesse”, explicou a delegada. José Ribamar vai responder a um Termo Circunstanciado de Ocorrência (TCO) pelo crime de omissão de cautela, do Estatuto do Desarmamento.