Empresários são presos suspeitos de furtar R$ 3 milhões em gasolina, em Manaus

Segundo a polícia, os presos são suspeitos de integrar uma organização criminosa envolvida no furto de mais de 600 litros do combustível

Carla Albuquerque / redacao@diarioam.com.br

Manaus – Os empresários Francisco de Assis de Souza, 42, e André Rebelo de Oliveira, 41, foram presos pela Polícia Civil (PC) suspeitos de integrar uma organização criminosa envolvida no furto de 642 mil litros de gasolina, avaliados em R$ 3 milhões, ocorrido em outubro do ano passado, na orla de Manaus. De acordo com o delegado de Roubos, Furtos e Defraudações (Derfd), Adriano Félix, o combustível furtado era comercializado em postos de combustíveis flutuantes (Pontã0) pertencentes aos suspeitos.

O grupo foi indiciado pelos crimes de furto qualificado, organização criminosa e lavagem de dinheiro (Foto: Raquel Miranda)

Além dos empresários, também foram presos Adenilzo da Cunha Damasceno, 55, o ‘Pedrinho’, e Elizeu França Barros, 34. Todos eles foram presos em cumprimento a mandados de prisão temporária expedidos pela Justiça durante operação denominada ‘Alfeu’.

De acordo com o delegado Adriano Félix, a organização foi desarticulada a partir da identificação do vigilante da empresa transportadora do combustível, Sílvio André Albuquerque, de idade não divulgada. “Era ele (Sílvio) quem repassava informações aos suspeitos e facilitava a ação dos furtadores. Por essas informações ele informou ter recebido R$ 1,5 mil”, disse o delegado.

Félix explicou que o furto ocorreu em outubro do ano passado, após o proprietário da empresa, que fazia o transporte do combustível de Manaus para o Pará, ter denunciado o crime. O furto foi praticado no porto onde a balsa estava atracada, na zona sul de Manaus. Os integrantes da organização retiraram os 642 litros de gasolina e no lugar colocaram água, para que o crime não fosse descoberto.

Após o furto, parte do combustível foi levado para o ‘Pontão’ Bons Amigos, que, segundo a polícia, pertence ao empresário Francisco, localizado próximo ao Porto do Ceasa, na zona leste de Manaus. Outra parte foi encaminhada para o ‘Pontão’ Rio Negro, pertencente a André, instalado nas proximidades Orla do Amarelinho, no Educandos, na zona sul de Manaus. O restante do combustível foi enviado para Manicoré (a 332 quilômetros de Manaus), onde Elizeu foi preso.

Na manhã desta terça-feira (6), durante o cumprimento dos mandados, a polícia apreendeu documentos e outros materiais nos Pontões, e, segundo o delegado, as investigações continuam para identificar os demais receptadores do combustível.

O grupo foi indiciado pelos crimes de furto qualificado, organização criminosa e lavagem de dinheiro. Todos eles serão encaminhados ao Centro de Detenção Provisória Masculino (CDPM) onde ficarão à disposição da Justiça.



SIGA-NOS NAS NOSSAS REDES