Homem é executado com pelo menos 20 tiros, no Jorge Teixeira

Quarteto assassino estava em um Fox preto e abordou Heliton Alexandre da Silva Costa, 23, enquanto ele caminhava na Rua Melhoral em direção à Avenida Mirra

Girlene Medeiros / redacao@diarioam.com.br

Manaus – Heliton Alexandre da Silva Costa, 23, foi assassinado com, pelo menos, 20 tiros, na tarde desta sexta-feira (13), ao tentar fugir de quatro homens que o perseguiam. O crime aconteceu na esquina da Rua Melhoral com Avenida Mirra, no bairro Jorge Teixeira, na zona leste de Manaus.

Ao perceber a presença dos assassinos, o homem correu e tentou se esconder em uma padaria. (Foto: Eraldo Lopes)

O delegado plantonista, Cleber William, do 30º Distrito Integrado de Policia (DIP), informou que Heliton estava sendo perseguido. O quarteto assassino estava em um Fox preto e abordou Heliton enquanto ele caminhava na Rua Melhoral em direção à avenida, conforme informou a equipe de investigação da Delegacia Especializada em Homicídios (DEHS).

Ao perceber a presença dos assassinos, o homem correu e tentou se esconder em uma padaria localizada à esquina. Os assassinos o seguiram e atiraram com munições de calibre 9 mm dentro da padaria. Conforme a DEHS, 15 tiros atingiram as costas de Heliton e os demais feriram diferentes partes do corpo do homem.

Policiais militares chegaram a mencionar que o homem foi baleado com 27 tiros. A equipe da DEHS informou que os peritos criminais ainda não fizeram o levantamento da quantidade exata de tiros.

A 30ª Companhia Interativa Comunitária (Cicom) chegou a abordar Heliton, que estava com um colega de moto, na última terça-feira (10), na Rua Algodão Roxo, via que fica paralela à Rua Melhoral. Conforme os policiais militares da 30ª Cicom, o homem foi salvo, na ocasião, porque ele estava sendo perseguido por homens. Um dos policiais militares afirmou, à reportagem, que chegou a alertar Heliton, durante a abordagem, aconselhando-o a “sair dessa vida”.

O corpo foi levado ao Instituto Médico Legal (IML), na zona norte. O caso permanece sob investigação da DEHS.