Homem é preso suspeito de alugar casas e depois vendê-las, em Manaus

A Polícia Civil levantou que Adriano Quintelo Castro, 34, o 'Cebola', fez, pelo menos, três vítimas e lucrou R$ 150 mil ilegalmente. Ele usava identidade falsa e escritura pública de imóvel em nome de uma pessoa morta

Girlene Medeiros / redacao@diarioam.com.br

Manaus – Adriano Quintelo Castro, 34, o ‘Cebola’, foi preso, na manhã desta sexta-feira (14), suspeito de alugar casas e depois vendê-las, como se fosse dono dos imóveis, usando identidade falsa e escritura pública de imóvel em nome de uma pessoa morta. A Polícia Civil levantou que o homem fez, pelo menos, três vítimas e lucrou R$ 150 mil ilegalmente.

Adriano Quintelo Castro, 34, o ‘Cebola’, fazia vítimas há, pelo menos, dois meses. (Foto: Yago Frota/Divulgação)

O homem fazia vítimas há, pelo menos, dois meses. Ele alugava a casa, pagava o primeiro mês de aluguel, fazia fotografias da parte interna do imóvel e publicava as fotos em um site de anúncios e classificados, segundo informou o delegado Ricardo Cunha, titular do 6º Distrito Integrado de Polícia (DIP) que investiga o homem há dois meses.

Segundo Cunha, o homem aplicou o golpe usando casas localizadas nos bairros Cidade Nova e Colônia Terra Nova, ambos na zona norte de Manaus. Em um dos dias em que aplicou o golpe, segundo o delegado, Adriano lucrou R$ 90 mil referente à venda de duas casas. Somado ao valor da terceira moradia, o homem conseguiu lucrar R$ 150 mil das pessoas que caíram no golpe das moradias vendidas a preços muito abaixo do valor de mercado.

O delegado alertou que o consumidor deve ficar atento e desconfiar de anúncios com muita facilidade. “Não acredite em facilidade. Você pode estar caindo em um golpe”, disse Cunha, acrescentando que Adriano usava diferentes números telefônicos para aplicar os golpes.

As investigações acerca do caso seguem para identificar como Adriano obteve escritura pública de imóvel, usando a identidade de João Paulo de Oliveira da Silva – que está morto, além do próprio documento de identificação falso.

Adriano vai responder por estelionato, uso de documento falso e falsificação de documento. Segundo Cunha, o homem já responde por tráfico de drogas. Pessoas que acreditam terem sido vítimas de Adriano devem procurar o 6º DIP, na Avenida Noel Nutels, bairro Cidade Nova, zona norte.