Mãe, filho e sobrinho são presos por tráfico de drogas na zona norte

Na casa dos suspeitos, a polícia encontrou uma carta com a letra de uma música em que eles exaltam uma organização criminosa

Da Redação / redacao@diarioam.com.br

Manaus – Maria Raimunda da Silva Moraes, 51, o filho dela, Williams Santos Moraes, 30, e o sobrinho de Maria, Daniel Régis Moraes, 23, foram presos suspeitos de tráfico de drogas, na área do bairro Novo Aleixo, zona norte da capital. Na casa onde os suspeitos estavam, a polícia encontrou em posse de Williams, uma carta com a letra de uma música em que os suspeitos exaltam uma organização criminosa, e afirma ser ‘matador de policial’, conforme informações dos policiais da Secretaria Executiva de Operações (Seaop), da Secretaria de Segurança Pública do Amazonas (SSP-AM).

Na casa dos suspeitos, a polícia encontrou uma carta com a letra de uma música em que eles exaltam uma organização criminosa. (Foto: Divulgação)

A prisão aconteceu na noite de terça-feira (20), na Travessa 29, após os policiais da Seaop, receberem uma denúncia anônima, informando que na residência, havia uma intensa venda de drogas e pessoas armadas no local. Dentro da casa, a polícia encontrou um colete balístico, com a sigla da facção criminosa, 117 trouxinhas de oxi, duas armas caseiras, três celulares e R$ 109, em espécie, além do papel com a letra de uma música.

Música

Na letra da música, Williams se intitula ‘Mc e cantor de funk’, e cita que ‘começou de baixo, mas hoje está no topo, fazendo funk para a malandragem’. Em outro trecho, o suspeito cita que é da zona norte, do bairro ‘Mutirão’ (Novo Aleixo).”Entre becos e vielas e o crimi organizado, são varios falcao defendendo a favela. Di ponto do parafal cromado, Estado do Amazonas a gente que impera é o comando vermelho, bonde do trem bala se dormir nos trilho nós passa por cima” (Sic).

Segundo os policiais da Seaop, os primos Williams e Daniel já respondem na Justiça por roubo e tráfico de drogas. Os três suspeitos foram levados para o 27º Distrito Integrado de Polícia (DIP), onde foram autuados por tráfico de drogas e porte ilegal de arma de fogo.