“Meu filho saiu para brincar e voltou desse jeito”, diz mãe de homem morto em chacina

A mãe de David Costa da Silva, um dos seis mortos na chacina que aconteceu no CSU da Compensa, afirma que o filho 'morreu de graça'. Nove pessoas ficaram feridas

Carla Albuquerque / redacao@diarioam.com.br

Manaus – “Meu filho morreu de graça. Saiu de casa para brincar e voltou desse jeito”. A declaração é da mãe de David Costa da Silva, 27, que foi morto durante uma chacina no Centro Social Urbano (CSU) da Compensa, na zona oeste de Manaus, na noite da última terça-feira (12). A mãe de David, que pediu para não ter o nome divulgado, disse que o filho também não era envolvido em crimes.

Velório de três vítimas aconteceu na segunda etapa da Compensa (Foto: Carla Albuquerque/Divulgação)

David Costa da Silva estava acompanhado dos vizinhos, os irmãos Ronaldo Oliveira de Souza, 23, e Rodrigo Oliveira de Souza, 24, que estão entre as seis pessoas que foram mortas na chacina. Ronaldo trabalhava como segurança, o irmão Rodrigo como promotor de vendas, e David trabalhava como gerente de loja.

Segundo a polícia, o crime foi praticado por um grupo de, ao menos, cinco homens, que chegaram ao local exaltando a facção criminosa Primeiro Comando da Capital (PCC). Eles estavam armados com pistolas e fuzis. Além dos mortos, outras nove pessoas ficaram feridas.

O tio de Ronaldo e Rodrigo, o estoquista Raimundo de Souza, 44, informou que os sobrinhos não tinham envolvimento algum com o tráfico de drogas e tinham ido ao local apenas para jogar futebol com os amigos. “Eles tinham acabado de sair de casa e estavam sentados esperando os jogadores dos outros times (T5 Jamaica e Compensão) terminar o treino deles para brincar, quando começou o tiroteio. Eles não tinha nada a ver com isso”, disse.

A reportagem também falou com a mãe do adolescente José Diego Sena Serrão, 17, que também está entre os mortos. Ela preferiu não dizer o nome por medo de represália. Ela informou que o jovem tinha saído de casa par a brincar de bola. No local do crime, uma testemunha informou que o rapaz estava atuando como goleiro para o time T5 Jamaica e tinha saído de campo para beber água quando foi baleado.

Os familiares de Michel de Sena Passos, 33, e Edilson Xavier Diniz Júnior, 24, não foram localizados pela reportagem.



SIGA-NOS NAS NOSSAS REDES