Modelo manauara diz que está sendo ameaçada de morte pelo ex-namorado

Em um dos áudios, ao qual a reportagem teve acesso, o homem diz que vai mandar dar “dois ou três tiros” na jovem. Os dois se conheceram o carnaval, em Manaus

Manaus – A estudante universitária e modelo Mariana Castilho, de 20 anos, denunciou que está sendo ameaçada de morte, por um ex-namorado, 27, que, segundo ela, é traficante de drogas, há cerca de seis meses. À reportagem, a jovem informou que registrou Boletim de Ocorrência (BO) do casona Delegacia Especializada em Crimes Contra a Mulher (DECCM). Em nota, a Polícia Civil informou que foi instaurado inquérito para apurar o caso, bem como medida protetiva a fim de preserva a integridade física dela.

Com medo, Mariana deixou de ir à academia e à faculdade há uma semana (Foto: Reprodução)

À reportagem, a estudante  informou que conheceu o homem no último Carnaval, em Manaus, e passou a namorá-lo à distância quando ele retornou ao Rio de Janeiro. No entanto, depois de três meses de relacionamento, ela descobriu que ele é traficante de drogas e decidiu terminar o relacionamento, mas o ex passou a ameaçá-la, mandando mensagens escritas e em áudio para ela, dizendo que vai mandar matar a modelo.

Em um dos áudios, ao qual a reportagem teve acesso, o homem diz que vai mandar dar “dois ou três tiros” na jovem e ainda afirma que a modelo passou a conhecer o lado ruim dele. Amedrontada com as ameaças, a modelo afirmou que, há cerca de uma semana, parou de ir à academia e à faculdade por medo. “Ele passou a ser muito agressivo. Eu tentei me afastar, mas eu tinha medo, porque ele seguia fazendo ameaças, que ia me matar e matar a minha família”, disse a jovem.

A estudante disse que procurou a DECCM com o objetivo de solicitar uma medida protetiva que proíba a aproximação do homem. No entanto, segundo ela, a equipe da delegacia informou que precisava do número da casa onde o homem morava para buscar informações com ele.

Em nota, a Polícia Civil informou, que, de acordo com o Boletim de Ocorrência registrado na DECCM, a violência doméstica ocorreu na madrugada de terça-feira (8), por volta das 1h, por telefone. Foi instaurado o Inquérito Policial em relação ao fato, bem como medida protetiva a fim de preservar a integridade física dela. O caso segue em diligências na DECCM.



SIGA-NOS NAS NOSSAS REDES