Morto com seis facadas por ciúmes era advogado; veja vídeo

Delano José da Silva, 43, foi assassinado na madrugada desta quinta-feira (8), na zona norte de Manaus. A Ordem dos Advogados do Brasil Seccional Amazonas (OAB-AM), acompanha o caso

Jucélio Paiva e Alisson Castro / redacao@diarioam.com.br

Manaus – A REDE DIÁRIO DE COMUNICAÇÃO (RDC) teve acesso a um vídeo de uma câmera de segurança de uma casa, onde mostra o momento exato em que Delano José da Silva, 43, que era advogado, foi assassinado, com pelo menos seis facadas, na madrugada desta quinta-feira (8), durante uma confusão em um bar, localizado no Conjunto Oswaldo Frota, bairro Cidade Nova, zona norte da capital. A Ordem dos Advogados do Brasil Seccional Amazonas (OAB-AM) informou que acompanha o caso.

OAB informou que acompanha o caso da morte do advogado junto à Polícia Civil. (Foto: Reprodução)

Nas imagens, é possível ver o momento em que o advogado é empurrado do bar e esfaqueado, pelo menos seis vezes, por um suspeito identificado pela polícia apenas como “Pimenta” que segue foragido. O crime foi presenciado por quatro mulheres, entre elas, a dona do estabelecimento.

O presidente da OAB-AM, Marco Aurélio Choy, disse que esteve nesta quinta-feira (8), na sede da Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros (DEHS), na zona leste, para acompanhar o andamento da investigação sobre o caso. “A OAB está acompanhando. Conversei com o delegado da DEHS, Orlando Amaral, e temos confiança que a Polícia Civil encontrará o assassino nas próximas horas”, disse.

O crime

O advogado Delano José da Silva, 43, foi morto a facadas, após se envolver em uma briga, no bar da namorada dele, localizado na Rua H, do Conjunto Oswaldo Frota, bairro Cidade Nova, zona norte de Manaus, durante a madrugada.

Crime aconteceu em bar, na zona norte (Foto: Sandro Pereira)

A Polícia Militar (PM), relatou que o suspeito cometeu o crime por ciúmes, pois, “Pimenta” acreditava que o advogado tinha ‘dado em cima’, da namorada dele, que também estava no bar. Até às 20h40 desta quinta-feira, o autor do homicídio que vitimou o advogado, não tinha sido localizado pela polícia.