Ordem para executar cabeleireiro veio de dentro de presídio, diz delegado

José Mateus da Costa Vieira, conhecido como Sapo, é o mandante do crime. Ele também é apontado como mandante do homicídio de Cristina Martins da Silva, em 2011, irmã do cabeleireiro assassinado

Gisele Rodrigues/ redacao@diarioam.com.br

José Mateus da Costa Vieira, o Sapo, atuava no tráfico de drogas do Mauazinho (Foto: Gisele Rodrigues)

Manaus – A ordem de executar o cabeleireiro e maquiador João Felipe de Oliveira Martins, 22, partiu de dentro da Unidade Prisional do Puraquequara (UPP). Segundo o delegado Juan Valério, da Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros (DEHS), o presidiário José Mateus da Costa Vieira, 28, conhecido como Sapo, é o mandante do crime e o pano de fundo da motivação está ligada ao tráfico de drogas no Mauazinho. O suspeito também é apontado como mandante do homicídio de Cristina Martins da Silva, em 2011, irmã do cabeleireiro morto e tem dois processos de tráfico de drogas.

Segundo Valério, a polícia ainda procura por outras pessoas envolvidas no crime. O delegado destacou que a irmã do maquiador, que era usuária de drogas, foi morta, com dois tiros, quando ele tinha 14 anos e João Felipe estava no local do assassinato, no entanto, o processo corre em segredo de justiça.

Cristina morreu com um tiro na cabeça, no dia 15 de abril de 2011, após ser perseguida por dois homens, na Avenida Rio Negro, no Mauazinho. Na época, os moradores da área relataram que o crime foi um acerto de contas pela morte de um homem encomendada pela vítima.

O delegado explicou que a polícia chegou até o mandante após a confirmação de Diego Sabino de Araújo, 27, o ‘Olhão’ ou ‘Coqueirinho’, pistoleiro contratado para execução e preso na última segunda-feira, na comunidade Parauá, município de Careiro da Várzea, município distante 25 quilômetros em linha reta da capital.

Diego, de acordo com a DEHS, tem passagem pela polícia por porte ilegal de arma de fogo de uso permitido e tráfico de drogas. Ele foi indiciado por homicídio qualificado.

Gessica Alho e Diego Olhão foram apresentados nesta quarta-feira (Foto: Gisele Rodrigues)

Na manhã de segunda-feira (11), 9h30, Gessica Alves Alho, 24, também envolvida no delito, foi apresentada pela polícia. A mulher foi contratada, segundo a polícia, para levar ‘Olhão’ para dentro do salão por meio de um horário marcado com o maquiador no salão de beleza.

A jovem foi presa pelas equipes da DEHS no sábado (9), na casa onde morava, no conjunto Amazonino Mendes, conhecido como Mutirão, no bairro Novo Aleixo, zona norte da capital.

Crime

O crime aconteceu na tarde do dia 30 de agosto deste ano, por volta das 15h40, em um salão de beleza localizado na Rua Rio Tarauacá, no Conjunto Vieiralves, bairro Nossa Senhora das Graças, zona Centro-Sul, onde a vítima trabalhava.

De acordo com o delegado da DEHS, Juan Valério, os policiais civis conseguiram identificar os envolvidos no homicídio após análise às imagens captadas por câmeras de segurança instaladas no estabelecimento.

Leia mais:

Polícia prende suspeito de matar maquiador em salão no Vieiralves

Em Manaus, mulher é presa suspeita de participar da execução de cabeleireiro

Maquiador é executado com quatro tiros dentro de salão de beleza, no Vieiralves

Câmeras de segurança flagram momento em que maquiador é executado dentro de salão, no Vieiralves

Polícia divulga imagens para identificar suspeitos da morte de maquiador

Ao menos três pessoas estão envolvidas em morte de maquiador, diz PC

“Meu filho tinha talento, ele conquistava o coração das clientes”, diz mãe de maquiador morto em salão



SIGA-NOS NAS NOSSAS REDES