Polícia apreende 965 kg de pirarucu e 24 kg de tambaqui transportados ilegalmente

O homem de 58 anos foi indiciado por transporte ilegal de peixe. Ele foi liberado e irá responder ao processo em liberdade

Manaus – A Polícia Civil apreendeu, na madrugada desta sexta-feira (22), 965 quilos de pirarucu e 24 quilos de tambaque que estavam sendo transportados ilegalmente. O material estava no Terminal Pesqueiro de Manaus, no bairro Educandos, zona sul de Manaus. Um homem, de 58 anos, funcionário da embarcação onde estava armazenada a mercadoria, foi detido e indiciado por crime ambiental.

A identidade do homem não foi divulgada. A operação ocorreu em conjunto com Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), Instituto de Proteção Ambiental do Amazonas (Ipaam) e Batalhão de Policiamento Ambiental da Polícia Militar do Amazonas (BPAmb-PMAM).

Pescado estava em embarcação (Foto: Alailson Santos/PC)

De acordo com a delegada Carla Biaggi, titular da Delegacia Especializada em Crimes contra o Meio Ambiente e Urbanismo (Dema), durante a operação, foram fiscalizadas embarcações que transportam o pescado que é comercializado nas feiras de Manaus, bem como checadas a origem e a legalidade dos peixes, as guias de transporte e comercialização, além da verificação da venda proibida de carne oriunda de caça de animais silvestres.

“Essa ação foi programada após algumas denúncias chegarem ao Mapa, de que estava sendo comercializado pescado ilegal naquele terminal e que muitas embarcações estariam fornecendo esse pescado para outros estados”, disse Carla. Ainda segundo a delegada, a Polícia Civil também recebeu denúncias de que naquele lugar estava sendo comercializada carne de caça de animais silvestres, que é proibida.

Ao longo da operação, o representante da Divisão de Aquicultura e Pesca da Superintendência Federal da Agricultura no Amazonas do Mapa, Vinícius Lopes, destacou que os trabalhos em torno da operação foram desenvolvidos em parceria com diversos órgãos. “Apostamos que esse tipo de ação possa amenizar impactos que vinham acontecendo com certa frequência no Terminal Pesqueiro de Manaus”, afirmou Lopes.

Ipaam

O gerente de fiscalização do Ipaam, Hermógenes Rabelo, explicou a atribuição do instituto durante a operação “Defeso”. “Participamos com o intuito de coibir a comercialização de pescado de origem ilegal e das espécie que estão no período do defeso. Como encontramos pescado que estavam sendo transportados ilegalmente, realizamos procedimentos administrativos”, esclareceu.

Hermógenes disse, ainda, que o Ipaam disponibiliza canais de denúncias para a população realizar delações de ilegalidades no transporte e comercialização de pescado. “Denúncias podem ser feitas por meio do número: ‪(92) 98455-7379‬ ou diretamente na sede do Ipaam, situada na avenida Mário Ypiranga Monteiro, bairro Parque Dez de Novembro, zona centro-sul da cidade. No site do Ipaam, dispomos de um campo onde também podem ser feitas denúncias ambientais”, declarou gerente de fiscalização do instituto.

Indiciamento

Conduzido ao prédio do 1º Distrito Integrado de Polícia (DIP), o homem de 58 anos foi indiciado por transporte ilegal de peixe, previsto no Artigo 34, parágrafo 3º, da Lei nº 9.605/98 – conhecida como Lei de Crimes Ambientais. Ele foi liberado e irá responder ao processo em liberdade.

Doação do pescado

A delegada Carla Biaggi informou que os peixes apreendidos, durante a operação “Defeso”, foram doados ao programa Mesa Brasil Sesc, mantido pelo Serviço Social do Comércio (Sesc), que ficará responsável em fazer a distribuição da mercadoria para entidades filantrópicas da capital.