Presos de alta periculosidade estão entre foragidos do CDPM 2, aponta Seap

'Sandrinho’ e ‘Mano Kaio’ estão entre os 35 detentos que fugiram por um túnel, de acordo com a Seap. Os dois foragidos têm envolvimento em, pelo menos, 90 homicídios, segundo a Polícia Civil

Stephane Simões / redacao@diarioam.com.br

Manaus – Detentos de alta periculosidade estão entre os foragidos do Centro de Detenção de Manaus 2 (CDPM 2), ocorrido na manhã deste sábado (12), segundo a Secretaria de Estado de Administração Penitenciária (Seap). ‘Sandrinho’ e ‘Mano Kaio’ estão entre os 35 foragidos que fugiram por um túnel, segundo a secretaria. Os dois foragidos têm envolvimento em, pelo menos, 90 homicídios, segundo a Polícia Civil.

Os dois foragidos têm envolvimento em pelo menos 90 homicídios, segundo a Polícia Civil. (Foto: Raquel Miranda e Eraldo Lopes)

Kaio Wellington Cardoso dos Santos, o ‘Mano Kaio’, foi capturado no dia 18 de agosto de 2017, no Rio de Janeiro. Ele foi trazido para Manaus no dia 22 de agosto. Segundo a Seap, ele cumpria pena por roubo e homicídio. O delegado Juan Valério, à época, titular da Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros (DEHS), afirmou que ‘Mano Kaio’ era apontado como um dos líderes de uma facção criminosa que atua no Amazonas e tinha envolvimento em, pelo menos, 50 homicídios. Valério disse, ainda, que ‘Mano Kaio’ era foragido do semiaberto e regressaria para o regime fechado.

Alexsandro Oliveira dos Santos, 32, o ‘Sandrinho’, estava preso desde o dia 7 de fevereiro deste ano. Conforme Valério, ‘Sandrinho’ era investigado como autor ou mandante de, pelo menos, 40 homicídios em Manaus, principalmente, na zona oeste da cidade. ‘Sandrinho’, que cumpria pena no regime semiaberto, foi preso no momento em que se preparava para ordenar mais uma execução. Segundo a polícia, ele residia em um condomínio de luxo, na Ponta Negra, e tudo era pago com dinheiro proveniente do tráfico de drogas. Ele foi autuado por homicídio qualificado e organização criminosa.

De acordo com a Seap, após o registro da fuga, foi realizado “procedimento de contagem de presos e vistoria em todos os pavilhões”. Em nota, a secretaria diz que está “tomando as providências para vedação do túnel encontrado próximo a área externa do pavilhão 5, por onde os presos conseguiram realizar a fuga”. Segundo a Seap, informações e fotos dos 35 foragidos foram repassados ao Sistema de Segurança Pública e à Força Nacional de Segurança, para as buscas.