Suspeitos de integrar quadrilha de roubos a motoristas são presos, em Manaus

Segundo a polícia, motoristas de transporte por aplicativo eram alvos do grupo. Uma mulher, liberada em audiência de custódia, voltou a ser presa por integrar a mesma quadrilha

Girlene Medeiros / redacao@diarioam.com.br

Manaus – Suspeitos de integrarem uma quadrilha especializada em roubos a motoristas de transporte por aplicativos, Wellington de Miranda Silva, 23, Waylla Jhonafarrieli, 19, e Ilmar Cleiton da Rocha Tinoco, 25, o ‘Charada’, foram presos enquanto planejavam assaltar mais um motorista. Os detalhes da prisão foram informados pelo delegado Rafael Allemand, titular da Delegacia Especializada em Roubos e Furtos de Veículos (DERFV).

Suspeitos de integrar quadrilha de roubos a motoristas são presos (Foto: Eraldo Lopes)

O trio foi apresentando à imprensa na tarde desta terça-feira (13). De acordo com o delegado, as prisões de Wellington e Waylla foram realizadas em cumprimento a mandados de prisão preventiva. Já Ilmar era foragido do Complexo Penitenciário Anísio Jobim (Compaj), segundo a polícia, e foi recapturado pela DERFV. Wellington e Ilmar foram presos na zona norte da capital. O trio foi preso na manhã de segunda-feira (12).

Waylla foi presa dentro do Fórum Henoch Reis, na zona centro-sul, quando seguia para uma palestra do Projeto Reeducar, ação do Tribunal de Justiça do Estado do Amazonas (TJAM) voltada para a reinserção social de liberados provisórios do sistema carcerário.

Ela foi presa, em fevereiro desse ano, suspeita de integrar a mesma quadrilha de roubos e respondia ao crime em liberdade, após ter sido liberada em Audiência de Custódia.

Segundo Allemand, os policiais civis da DERFV apreenderam uma arma falsa com ‘Charada’. Para a equipe da delegacia especializada, a arma seria usada no roubo que estava sendo planejado.

Durante entrevista coletiva à imprensa, ‘Charada’ disse que a participação dele era de fornecer a arma falsa para a quadrilha. Já Wellington afirmou que era o motorista do carro do grupo. Waylla disse que não estava mais cometendo crimes desde a prisão, no mês passado.

No entanto, segundo o delegado, o mandado de prisão dela e de Wellington foram solicitados à Justiça após, pelo menos, três pessoas e outros cinco motoristas de aplicativos de transporte irem até a delegacia, na zona centro-sul, se apresentando como vítimas do grupo.

Conforme a Polícia Civil, os mandados foram expedidos no último dia 7 de março, em nome de Wellington e Waylla, pela juíza de Direito Anagali Marcon Bertazzo, da 6ª Vara Criminal de Manaus.

Wellington e Waylla forma indiciados por roubo majorado e associação criminosa. Ilmar foi indiciado por associação criminosa. Wellington e Ilmar serão levados ao Centro de Detenção Provisória Masculino (CDPM). Já Waylla será levada ao Centro de Detenção Provisória Feminino (CDPF).

Quatro suspeito

O delegado Allemand apontou que há um quarto homem suspeito de integrar a quadrilha criminosa. O homem foi identificado, pela DERFV, como Josué Silva Sato, de idade não divulgada, que está foragido e sendo procurado pela polícia.

Josué Silva Sato está sendo procurado pela polícia (Foto: Eraldo Lopes)