Traficante é preso suspeito de mandar matar homem, em Manaus

A polícia afirmou que a vítima foi baleada e, depois de ser perseguida, foi espancada até a morte por suspeitos, que receberam ordens do traficante

Da Redação / redacao@diarioam.com.br

Manaus – Adrison Patrik Albarado Nunes, 24, conhecido como ‘Babão’, foi preso, em Manaus, na segunda-feira (11). Segundo a Polícia Civil (PC), o homem é suspeito de ser o mandante do assassinato de Durval Elias da Silva Filho, 41. A polícia informou que a vítima foi baleada e, depois de ser perseguida, foi espancada até a morte por suspeitos, que receberam ordens do traficante.

Adrison Patrik Albarado Nunes é suspeito de ser o mandante do assassinato de Durval (Foto: PC/Divulgação)

De acordo com o delegado Jeff David Mac Donald, titular da Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros (DEHS), Adrison foi preso em cumprimento de mandado de prisão temporária, com prazo de 30 dias, por homicídio.

Conforme o delegado, o crime aconteceu na madrugada do dia 31 de maio deste ano, na casa onde a vítima morava, situada na Avenida Itapiraba, bairro Cidade Nova, zona norte da capital. Segundo a polícia, momentos antes do crime, a vítima estava em um bar, quando os dois discutiram. Em seguida, Durval deixou o estabelecimento, mas acabou sendo perseguido por ‘Babão’ e outros suspeitos, segundo a PC.

“A vítima morava em uma invasão. ‘Babão’, por ser considerado um dos traficantes da Comunidade Alfredo Nascimento, queria se livrar da vítima e ficar com o terreno dela para obter dinheiro com isso. No dia do crime eles iniciaram uma discussão sobre o terreno e, em seguida, o infrator apontou uma arma de fogo em direção à vítima, que foi atingida, ainda, com duas coronhadas no rosto. Após a agressão, Durval saiu correndo até a casa dele, mas foi perseguido pelos infratores e veio a óbito por espancamento”, explicou Mac Donald.

O delegado afirmou que três suspeitos participaram ativamente do homicídio de Durval, a mando de ‘Babão’. Ao longo das investigações, Mac Donald representou à Justiça o pedido de prisão temporária em nome de Adrison. A ordem judicial em nome do infrator foi expedida no dia 4 de junho deste ano, pela juíza Careen Aguiar Fernandes, no Plantão Criminal.

“Adrison não tinha endereço físico, então realizamos campanas em alguns lugares da capital. Foi dessa forma que conseguimos efetuar a prisão dele na tarde de segunda-feira (11), por volta das 13h30, em via pública, na Comunidade Alfredo Nascimento, bairro Cidade de Deus, zona norte da capital”, disse o delegado.

Reincidente

Em consulta ao Sistema Integrado de Segurança Pública (Sisp) foi constatado que Adrison já tinha passagem pela polícia por dois homicídios e também receptação. Dessa vez, ele foi indiciado por homicídio. O suspeito ficará custodiado nas dependências do prédio da DEHS, até o término dos procedimentos em torno do caso.