Visitantes tentam entrar na UPP com celulares e drogas em fundos falsos de vasilhas

Uma visitante também tentou entrar na unidade com farinha de mandioca misturada com fermento. Os visitantes terão as visitas suspensas por 30 dias. Duas mulheres foram levadas para o 14º DIP

Da Redação / redacao@diarioam.com.br

Manaus – Quatro pessoas que iriam fazer visitas a detentos da Unidade Prisional do Puraquequara (UPP) tentaram entrar no local com materiais proibidos, neste sábado (13). As informações são da Secretaria de Estado de Administração Penitenciária (Seap). Entre os materiais apreendidos estão oito celulares, 600 gramas de entorpecente e uma porção de farinha de mandioca misturada com fermento. Os visitantes foram flagrados durante a revista.

De acordo com informações da Seap, parte dos materiais apreendidos estava em fundos falsos de vasilhas com alimentos. A secretaria informou que a primeira ocorrência foi registrada às 11h10, “quando a visitante Naiara Lima Leão, cadastrada como amiga do interno Walace Gomes de Brito, foi flagrada nos procedimentos de revista com duas vasilhas de comida com fundo falso, onde estavam escondidos quatro aparelhos de telefonia celular”.

Cerca de uma hora depois, a visitante Ketlem Santos de Souza, amiga do preso Otávio Silva de Souza, foi flagrada tentando entrar no local com 400 gramas de maconha. Segundo a Seap, o material também estava escondido em uma vasilha com fundo falso. Em seguida, os agentes encontraram mais 200 gramas de cocaína, em outra vasilha com fundo falso.

As outras duas ocorrências foram registradas entre 12h50 e 13h. A Seap informou que a visitante Rejane de Souza Queiroz, companheira do detento Vanderlane Araújo da Silva, tentou entrar na UPP com uma porção de farinha de mandioca misturada com fermento. Conforme a secretaria, o material também é proibido “porque pode ser usado para fermentação, que é parte do processo bioquímico usado na fabricação de bebidas alcoólicas”.

Logo depois, Erlando Jorge Pedrosa de Barros, irmão do preso André Felipe Pedrosa de Barros, foi flagrado com quatro celulares, que também estavam escondidos em fundos falsos de duas vasilhas com comida.

O secretário da Seap, coronel Cleitman Coelho, afirmou que os visitantes têm buscado novas formas de burlar as revistas e procedimentos de segurança. “Ultimamente, temos registrado ocorrências dessa natureza, de materiais escondidos em fundos falsos de vasilhas de comida ou em potes de margarina. Com o avanço no uso de equipamentos tecnológicos e reforço das revistas, é natural que os visitantes procurem novas formas de tentar entrar com objetos proibidos, mas estamos atuando de forma constante para evitar as investidas”, disse o secretário.

Segundo a Seap, todos os visitantes flagrados foram levado para a direção da UPP para registro de ocorrência administrativa. Eles terão as visitas suspensos por 30 dias. Naiara, Ketlem e Erlando foram encaminhados ao 14º Distrito Integrado de Polícia (DIP).