PRF mapeia áreas de exploração sexual

Segundo a Polícia Rodoviária Federal (PRF), cresceu 71% os pontos vulneráveis à Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes nas rodovias federais do Amazonas, neste biênio (2017 e 2018)

Gisele Rodrigues/ redacao@diarioam.com.br

Manaus- Aumentaram em 71% os pontos vulneráveis à Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes (ESCA) nas rodovias federais do Amazonas, entre os anos de 2017 e 2018, em relação ao último biênio, segundo a Polícia Rodoviária Federal (PRF).

Malha Viária BR-174 e BR-319 são as rodovias federais que passam pelo Amazonas. (Foto: Sandro Pereira/Arquivo)

O órgão, em parceria com a Childhood Brasil, apresentou, na última segunda-feira (14), a nova edição do mapeamento nacional – o Mapear, que percorreu postos de gasolina, hotéis e bares com ocorrências de exploração sexual infantil em todo o País. Atualmente, no Estado, são 31 pontos.

O último relatório do projeto indicou que nove áreas estavam sujeitas a este tipo de violação, no período de 2013 e 2014 no Amazonas. Já o estudo lançado nesta segunda mostrou que 22 novos pontos foram identificados pela PRF, neste biênio.

O aumento mais significativo, segundo o Mapear, foi na região Norte, que mais que dobrou o número de pontos vulneráveis, saindo de 160 no último levantamento, para 404 em 2018, um incremento de 150%. O crescimento deste tipo de área no Amazonas foi 50 pontos percentuais maior que a média brasileira (20%).

O Estado de Rondônia ficou em primeiro lugar no ranking de crescimento desses pontos, com 91% de alta. Na região Norte, o Amazonas com 71% foi a segunda unidade da federação em crescimento de locais vulneráveis a exploração sexual de crianças e adolescentes.

O Nordeste (de 475 pontos para 644) e Sul (de 448 pontos para 575) integram o segundo e terceiro lugar na lista de crescimento no País, por região. Segundo a pesquisa, no entanto, houve uma estabilização do número de pontos no Sudeste, e leve redução na Região Centro-Oeste.

A PRF identificou pontos de prostituição infanto-juvenil em postos de combustível, bares, casas de show, pontos de alimentação, pontos de hospedagem, em áreas de comércio informal, pontos de carga e descarga e até em escolas, segundo apontou o levantamento.

Segundo as duas instituições responsáveis pelo estudo, a exploração sexual de crianças e adolescentes nas rodovias está relacionada com o consumo de drogas lícitas e ilícitas, a prostituição de adultos e a grande rotatividade nos pontos de parada.

“A conjunção destas características propicia a ocorrência de diversas práticas ilícitas, entre elas, a exploração sexual de crianças e adolescentes (ESCA)”, apontaram os órgãos no levantamento.

Em toda a malha viária federal do Brasil, foram quase 2.500 pontos identificados no levantamento. Essa edição do Mapear encontrou, ao todo, 2.487 pontos vulneráveis à exploração sexual de crianças e adolescentes em ‘BRs’ de todo o País.