Suspeito nega ter agredido bebê e diz que fugiu com medo de ameaças

Por telefone, Paulo Henrique Assis da Costa, de 18 anos, falou sobre o caso com equipe de reportagem do GRUPO DIÁRIO DE COMUNICAÇÃO (GDC), na manhã desta quinta-feira (14)

Vanessa Oliveira / redacao@diarioam.com.br

Manaus – Paulo Henrique Assis da Costa, 18, conhecido como ‘Sonequinha’, suspeito de agredir uma bebê de 1 ano e 7 meses, na última segunda-feira (11), falou com exclusividade sobre o caso com a equipe de reportagem do GRUPO DIÁRIO DE COMUNICAÇÃO (GDC), na manhã desta quinta-feira (14).

O caso aconteceu em uma casa localizada no bairro Coroado, zona leste da cidade, onde, de acordo com informações da conselheira tutelar Iolene Oliveira, o suspeito se ‘enfureceu’ com a sogra após ser advertido sobre conseguir um emprego para comprar, ao menos, uma botija de gás.

Ainda segundo a conselheira, a sogra, que trabalha como cuidadora de idoso, deixava a bebê aos cuidados da outra filha, uma adolescente de 16 anos, mulher de Paulo, e, ao retornar para casa, no início da noite, notou um hematoma na região das costas da criança. Conforme a conselheira Iolene Oliveira, a mãe da bebê procurou, imediatamente, os meios legais para punição do suposto agressor.

Paulo Henrique segue foragido, porém, na manhã desta quinta-feira, entrou em contato, via celular, com o GDC, para falar sua versão dos fatos.

À reportagem, o suspeito disse que trabalha com o avô em uma loja de relógios, enquanto a companheira fica em casa com a filha do casal, de 1 e 8 meses, e a cunhada, de 1 ano e 7 meses. No dia do ocorrido, segundo o suspeito, a adolescente teria ido dar banho nas duas crianças, quando observou um hematoma nas costas da irmã. De acordo com Paulo, a jovem chamou o companheiro e mostrou as marcas. “Mostra logo pra tua mãe, para ela não pensar que fomos nós” disse. Assim que a mãe chegou, foi questionada pela filha adolescente se a bebê teria caído. A cuidadora afirmou que não.

Logo em seguida o suspeito passou a ser procurado pela Polícia Militar. Desde então, com medo das ameaças recebidas, o homem resolveu se esconder e segue foragido.