Amazonas enfrenta a maior cheia já registrada nos últimos tempos

O nível do Rio Negro atingiu na manhã desta quarta-feira (16) a cota de 29,78, a maior já vista no Estado. Há 49 municípios em estado de emergência e 76 mil famílias afetadas.

Manaus já enfrenta a maior cheia registrada dos últimos tempos, ultrapassando a cota recorde de 2009 em 1 centímetro. O nível do Rio Negro atingiu na manhã desta quarta-feira (16), a cota de 29,78, a maior já vista no Estado, confirmou o chefe do Serviço Hidrográfico do Porto de Manaus, o engenheiro civil Valderino Pereira da Silva, responsável pela medição há 23 anos.

Segundo ele, a tendência é do rio continuar subindo e não há expectativa para o fim das enchentes que já prejudicam o trânsito no Centro de Manaus. O engenheiro disse que o Rio Solimões já começa a reduzir o nível em algumas cidades como Tabatinga, no entanto, ainda não é possível saber quando isso irá refletir em Manaus.

Há 49 municípios em estado de emergência e 76 mil famílias afetadas, dessas 10 mil famílias são da capital, onde onze bairros, incluindo o centro de Manaus, já estão em estado de alerta. De acordo com a Defesa Civil do Município, 16.325 moradores tiveram suas casas atingidas pela cheia.

A previsão anunciada pela Superintendência Regional do Serviço Geológico do Brasil (CPRM), é que a cota máxima de 2012 seja de 30,13 cm, 39 centímetros a mais que a registrada em 2009 que foi de 29,77. O maior nível do Rio Negro é registrado entre os meses de maio e julho, sendo que 77% das cheias máximas são registradas em junho, de acordo com a CPRM.

* Colaboração da repórter Luana Carvalho

 

Confira outras matérias especiais sobre a cheia em Manaus

Cheia do Rio Negro já atingiu 72% dos municípios do AM

Mais de dez mil famílias sofrem com a cheia somente em Manaus

População aposta em manifestações para fugir dos problemas da cheia

Cheia começa a levar ‘turistas’ para pontos inusitados de enchente

Rede Diário lança campanha para ajudar famílias afetadas pela cheia do Rio Negro