Caprichoso celebrará poesia cabocla em estreia

De acordo com o artista Jair Mendes, o boi azul-e-branco levará surpresas e encantos para a arena do Bumbódromo.

Parintins – Uma celebração da poesia cabocla. É dessa forma que o Boi-Bumbá Caprichoso pretende encantar a galera na primeira noite do 45º Festival Folclórico de Parintins (a 369 quilômetros de Manaus), na próxima sexta-feira.

A festa do bumbá azul e branco já começa imponente, com duas alegorias em uma só, do artista revolucionário Jair Mendes. Segundo ele, no primeiro momento, será realizada a Exaltação Folclórica, com o tema ‘Caprichoso: O Boi de Parintins’. Neste momento, o boi vai homenagear seus antigos brincantes. “Dessa alegoria vão surgir a Sinhazinha da Fazenda, a Porta-Estandarte e o próprio boi Caprichoso”, afirmou .

Jair Mendes disse, ainda, que no segundo momento a alegoria se transforma para dar início à Figura Típica Regional, com o tema ‘Caboclo Pescador’, onde os pescadores que foram brincantes do boi serão os homenageados. “São os nossos heróis dos rios”, disse. Dessa alegoria sairá a Rainha do Folclore do bumbá.

Jair, que tem 67 anos de idade, sendo 36 dedicados à festa do boi-bumbá, adiantou que o Caprichoso, na abertura da primeira noite, apresentará várias surpresas. “Só em uma alegoria haverá oito surpresas”, garantiu. O artista de ponta do Caprichoso é um dos mais antigos do festival e disse que, este ano, o azul e branco vai abrir sua apresentação de volta às raizes, sem utilizar grandes alegorias. “Não tem nada faraônico, é tudo folclore, bem tradicional. Em um momento, por exemplo, a alegoria que vai retratar o Teatro Amazonas vai se transformar e vocês vão ver a beleza”. A alegoria de abertura do Caprichoso tem 24 metros de largura por 18 de fundo e 11 de altura, segundo o artista.

Outra alegoria que promete chamar a atenção durante a primeira noite é da Lenda Amazônica ‘O Encanto do Boto’, do artista Karu Carvalho. A alegoria terá 16 módulos e vai representar a lenda do boto, já apresentada em outras edições do festival, pelos dois bumbás. “Foi um desafio para mim fazer esse trabalho, mas graças às toadas dos compositores foi possível criar algo diferente. Dessa vez, a lenda do boto será retratada nos tempos atuais, com uma visão moderna”, disse.

Karu Carvalho explicou que desta alegoria sairá a Cunhã-Poranga do bumbá, que será encantada pelo boto e se transformará na cabocla que ele levou para o fundo do rio. Além do boto, a alegoria terá uma grande cobra, que será decorada com balões. “É como se fosse a festa de casamento do boto com a cabocla. A transformação de boto para homem vai levantar a galera”, afirmou. 

Segundo Karu, 25 pessoas trabalham na alegoria, que tem 23 metros de fundo por 34 de largura e chega a até 17 metros de altura.  Karu tem 47 anos de idade e está há 27 anos no boi Caprichoso. Para construir a alegoria da primeira noite, ele usou muito plástico, “para dar um efeito de fundo de rio”

As alegorias da primeira noite do Caprichoso estão bastante coloridas, para dar mais vida ao universo do dia a dia caboclo.  Outro exemplo é o grande ritual indígena das tucandeiras , o ‘Ritual da Iniciação’. A alegoria do artista Ozéas Bentes  será montada em dez módulos,  tem 30 metros de largura por 20 de fundo e 16 de altura e vai reproduzir a iniciação do curumim , quando ele deixa de ser criança e passa a não temer mais a dor. É nesse momento que surgem as formigas na apresentação do Caprichoso. Uma enorme luva terá um efeito mais realista quando for coberta por pessoas vestidas de formiga, para representar o ritual da tucandeira. O pajé é o item que sairá desta alegoria, segundo Bentes. “Ele surge junto com um tuxaua da tribo”, afirmou. Para construir essa alegoria, o artista utilizou plástico, emborrachado, palhas e materiais sintéticos não inflamáveis.

Ozéas trabalha há 20 anos no bumbá azul e branco e disse que o boi cresceu muito nos últimos anos e que a robótica do festival se aprimorou. “Hoje, as alegorias já chegaram a um tamanho padrão e o que as beneficia é a arte plástica. O ponto fundamental na apresentação dos bumbas são as alegorias. É quando a galera se empolga mais e, neste ano, o Caprichoso  vai surpreender”, afirmou.