Projeto pretende revitalizar Cachoeira Alta do Tarumã, em Manaus

Segundo o líder comunitário, Jorge Nunes, o projeto vai realizar ações de conscientização e quer revitalizar a cachoeira em até três anos

Sofia Lorrane / redacao@diarioam.com.br

Manaus – Um projeto de revitalização da Cachoeira Alta do Tarumã, localizada na zona oeste de Manaus, pretende devolver a cachoeira ao convívio dos manauaras. Segundo um dos coordenadores da campanha, Jorge Nunes, o projeto é formado por voluntários e quer realizar ações de sensibilização nas comunidades próximas à cachoeira.

Projeto quer sensibilizar comunidades a não poluir o local (Foto: Arquivo Pessoal)

Jorge Nunes também é um dos líderes comunitários do Tarumã, e está à frente da iniciativa. Ele explica que o projeto já está pronto e que pretende pedir a ajuda dos órgãos municipais, estaduais, e federais. “Nessa campanha nós já fizemos o primeiro recolhimento de amostras para termos uma certeza de como está a água, porque a água, quando bate lá em baixo, joga uma espuma branca, o que já indica poluição química”, afirma.

O projeto particular que envolve também a parte social pretende fazer um trabalho de conscientização com as pessoas que moram próximo a cachoeira. “Nós vamos ensiná-los a reaproveitar o lixo, vamos fazer palestras nas escolas, campanhas e mostrar que o lixo deles pode virar luxo, pode virar uma fonte de renda extra”, explicou Jorge.

Para Jorge, a sensibilização da população é a parte mais difícil. “Explicar para o ser humano que não pode jogar lixo dentro do igarapé, que não pode poluir e nem matar a natureza é trabalhoso. Nós encontramos sofás velhos, grades de ferro, garrafas pets, latas, dentro do igarapé e todo esse material demora anos e anos para se decompor”, relatou.

Segundo o líder comunitário , além da sensibilização, o projeto inclui a revitalização da cachoeira em até três anos. “A equipe técnica é formada por engenheiros ambientais, engenheiros químicos, assistentes sociais, tudo para podermos trabalhar no nível técnico de poluição,  deixar a água com o mínimo de poluição possível e para que as pessoas consigam tomar banho”, disse.



SIGA-NOS NAS NOSSAS REDES