Caprichoso abre Festival Folclórico de Parintins e surpreende com pajé ‘voador’

Na encenação do Auto do Boi, uma surpresa: o pajé que encenou a ressurreição do boi sobrevoou o Bumbódromo sobre uma prancha, levando a galera azulada ao delírio

Édria Caroline / redacao@diarioam.com.br

Manaus– O boi-bumbá Caprichoso abriu o 53º Festival Folclórico de Parintins em uma apresentação com emoções e surpresas defendendo o tema: ‘Ancestralidade, o Ethos do Saber Popular’. Entre elas, a alegoria do ritual Tariana, do artista Junior de Souza, trouxe o pajé Netto Simões, que impressionou o público presente ao se transformar em um escorpião e rastejar em meio a arena do Bumbódromo. Na encenação do Auto do Boi, uma surpresa: o pajé que encenou a ressurreição do boi sobrevoou o Bumbódromo sobre uma prancha, levando a galera azulada ao delírio.

 

Cerimônias instituídas aconteciam no tempo escolhido pelo chamã Tariana e marcavam a culminância solene dos repasses dos saberes ancestrais aos jovens, do gênero masculino, da tribo. Outro momento que impressionou o público foi a gigantesca alegoria representando a Mãe Terra, de onde surgiu mulher mais bela da aldeia Caprichoso, a cunhã-poranga Marciele Albuquerque. O Item 9 do bumbá ainda evoluiu em meio as tribos indígenas, com a toada ‘Deusas da Guerra’.

A sinhazinha da Fazenda Valentina Cid, o amo do boi Prince do Caprichoso e a estrela da festa, o próprio bumbá, surgiram para a exaltação folclórica do Auto do Boi. Do alto da alegoria que enaltecia a figura típica regional ‘Caboclo Curador’, surgiu a porta-estandarte Marcela Marialva, que representa o símbolo do boi em movimento.

Se despedindo este ano do item de número 8, no qual defende há 10 anos, a rainha do folclore Brena Dianná, surgiu da lenda amazônica ‘Yurupari, O Terror das Noites’, e emocionou a galera azul e branca, que gritou seu nome diversas vezes durante a sua evolução.

O Caprichoso terminou sua apresentação faltando dois minutos para o tempo limite, que é de duas horas e trinta minutos. O presidente da associação folclórica, Babá Tupinambá, afirmou que tudo saiu dentro do planejado pelo Conselho de Artes e que as próximas duas noites mais surpresas devem ser levadas à arena.

“Tivemos que correr um pouquinho no fim, mas nada que tirasse o brilho do nosso espetáculo. Estou muito feliz, a galera correspondeu, fomos aguerridos do início ao fim, contagiou, emocionou”, disse o presidente, que se mostrou confiante no título.

Neste sábado (30), o Caprichoso é o segundo boi a se apresentar na arena do Bumbódromo.