Caprichoso supera adversidades e impressiona com alegoria reconstruída em 12 horas

A alegoria do ritual indígena ‘Transcendência Yanomami’ foi destruída por um incêndio, às vésperas do festival, mas foi reconstruída após uma força-tarefa

Édria Caroline / redacao@diarioam.com.br

Manaus – Superando as adversidades às vésperas do início do 53º Festival Folclórico de Parintins, o Caprichoso levou para a arena do Bumbódromo, no segundo dia de apresentações, o tema ‘Encontros: um mosaico de saberes’, já na madrugada deste domingo (1º). O Garantido foi quem abriu a segunda noite de apresentações, nesse sábado (30).

Caprichoso supera adversidades e impressiona na segunda noite (Foto: Sandro Pereira)

A lenda amazônica ‘Sissa: a flor dos Aimarás’ abriu a noite com uma gigantesca alegoria. O canadense Alexandro Duru sobrevoou o Bumbódromo novamente, desta vez representando um pássaro e trazendo o estandarte da porta-estandarte Marcela Marialva. Da figura típica regional ‘Caboclo Seringueiro’ surgiu a sinhazinha da fazenda Valentina Cid, representando as riquezas do ciclo da borracha no Amazonas.

Representando Iansã, o orixá dos raios, a rainha do folclore Brena Dianná foi recebida pela nação azul e branca ovacionada.

Do módulo alegórico que representava a ancestralidade da tribo Sateré Mawé surgiu a cunhã-poranga Marciele Albuquerque, que comandou o grande encontro de tribos que se formou na arena.

Superação

A alegoria que, após um curto circuito, pegou fogo, na manhã da última quinta-feira (28), véspera do início do festival, entrou na arena nesta segunda noite de apresentações conforme o programado pelo Conselho de Artes do bumbá.

Caprichoso reconstruiu alegoria em cerca de 12 horas, após incêndio (Foto: Sandro Pereira)

Após uma verdadeira força-tarefa formada por todos os artistas do Caprichoso e torcedores que se disponibilizaram a ajudar para que a alegoria ficasse pronta a tempo, a alegoria do ritual indígena ‘Transcendência Yanomami’ entrou na arena e revelou o pajé Netto Simões.

“Em menos de 12 horas nós reconstruímos uma alegoria e eu falei que se não fosse a melhor alegoria do festival seria uma das melhores. Essa união que eu tanto falo é o que faz a gente se envolver cada vez mais”, afirmou o presidente do boi Caprichoso, Babá Tupinambá.

O Caprichoso é o segundo a se apresentar neste domingo (1), encerrando o 53º Festival Folclórico de Parintins.