Pela primeira vez, Inpa terá mulher à frente da diretoria

Criado em 1952, o instituto começou a funcionar em 1954, sendo referência em pesquisas sobre biodiversidade e ecossistemas amazônicos

Eliena Monteiro / redacao@diarioam.com.br

Manaus – A bióloga Antônia Maria Franco Pereira foi nomeada diretora do Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia (Inpa), pelo Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC). É a primeira vez, em 64 anos de funcionamento, que uma mulher ficará à frente da instituição. A gestão será de quatro anos.

Antônia Maria Franco Pereira (Foto: Luciete Pedrosa/Inpa)

A nomeação da pesquisadora foi publicada no Diário Oficial da União (DOU) dessa quarta-feira (5). Conforme informações do Inpa, atualmente, a bióloga é líder do Laboratório de Leishmaniose e Doença de Chagas. Também está como coordenadora do foco Sociedade, Ambiente e Saúde da instituição – que tem outros três focos de atuação: Biodiversidade, Dinâmica Ambiental e Tecnologia e Inovação.

O Inpa disse aguardar o MCTIC informar a data de posse da nova diretora, o que pode ocorrer ainda neste mês ou no início do próximo ano. De acordo com o instituto, a pesquisadora vai escolher sua equipe, que inclui desde diretor (a) substituto (a) a coordenadores.

O então diretor do instituto, Luiz Renato de França, não exerce o cargo desde julho deste ano. Atualmente, Hillândia Brandão, pesquisadora da casa, exerce a função como diretora substituta.

Processo de escolha

O nome de Antônia Franco saiu de uma lista tríplice não divulgada pelo MCTIC. Segundo o Inpa, os três nomes surgiram a partir de um edital lançado pelo ministério, que recebeu inscrições de cinco pesquisadores – três do Inpa, um da Embrapa e outro da Universidade Federal do Amazonas (Ufam).

Um Comitê de Busca, instituído pelo edital do MCTIC e composto por notáveis da comunidade científica, organizou a seleção pública, que contou com análise curricular, elaboração de um ‘Plano de Trabalho e Visão de Futuro’ para quatros anos de gestão, banca de avaliação e entrevista. Depois desse processo, três nomes foram enviados o ministro de Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações, Gilberto Kassab.

Antes da divulgação do edital para diretoria, a Associação dos Servidores do Inpa (Assinpa) fez consulta interna entre servidores e a comunidade científica do instituto para receber nomes de pessoas que poderiam ser indicadas à diretoria, mas segundo o Inpa, a consulta não tem validade oficial.

Criado em 1952, o Inpa começou a funcionar em 1954. O instituto é referência em pesquisas sobre biodiversidade e ecossistemas amazônicos.

Currículo

Conforme informações publicadas na Plataforma Lattes – que reúne dados de pesquisadores nacionais e de outros países – Antônia Franco é bolsista de Produtividade em Pesquisa do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico ( CNPq) – Nível 2. Tem graduação em Licenciatura Plena e Bacharel em Ciências Biológicas pela Fundação Técnico Educacional Souza Marques (1983), mestrado em Biologia Parasitária pela Fundação Oswaldo Cruz/RJ (1990), doutorado em Biologia Celular e Molecular pela Fundação Oswaldo Cruz/RJ (1995) com parte do estudo desenvolvido na Universidade de Yale (EUA) com bolsa de doutorado sanduíche da Capes.

Já atuou como professora no Centro Universitário do Norte (Uninorte), UniNilton Lins LINS e Unip. Professora de EAD pelo Ifam na área da Saúde, tem experiência em Parasitologia Humana, com ênfase em Protozoologia de Parasitos, atuando principalmente nos seguintes temas: Trypanosomatidae, gêneros Leishmania e Endotrypanum, ensaios in vitro e in vivo, caracterização e tipagem de parasitos, epidemiologia molecular, imunologia, tratamento e diagnóstico das Leishmanioses.