Divergências impedem votação do parecer sobre a ‘Escola Sem Partido’

O substitutivo do relator prevê que cada sala de aula terá um cartaz com seis deveres do professor, entre eles o de não cooptar os alunos para corrente política ou ideológica

Da Redação / redacao@diarioam.com.br

Manaus – A comissão especial da Câmara dos Deputados encarregada de analisar projeto de lei que estabelece a chamada Escola Sem Partido não conseguiu votar, nesta quarta-feira (11), o parecer do deputado Flavinho (PSC-SP). O substitutivo do relator prevê que cada sala de aula terá um cartaz com seis deveres do professor, entre eles o de não cooptar os alunos para corrente política ou ideológica; e não incitar alunos a participar de manifestações.

O substitutivo do relator prevê que cada sala de aula terá um cartaz com seis deveres do professor, entre eles o de não cooptar os alunos para corrente política ou ideológica (Foto: Alex Ferreira/Câmara dos deputados)

Candidaturas
Com a bandeira de ‘blindar’ a Lava Jato, pelos menos 13 delegados da Polícia Federal devem ser candidatos nas eleições de outubro.

Lançamento
A Associação dos Delegados de Polícia Federal (ADPF) vai lançar, nesta quinta-feira (12), a campanha ‘O brasileiro tem sede de mudança’. O evento de lançamento será em Curitiba, principal palco da Lava Jato, com a presença de vários pré-candidatos.

Negativa
Em evento na Assembleia Legislativa do Ceará, o senador Magno Malta (PR-ES) anunciou que não aceitará ser vice na chapa do pré-candidato Jair Bolsonaro (PSL) à Presidência. O fato foi relatado, nesta quarta-feira, pelo jornal Diário do Nordeste.

Impunidade
A presidenciável Marina Silva (Rede) saiu em defesa do juiz Sergio Moro, nesta quarta-feira, durante entrevista à imprensa em Contagem (MG). Para Marina, grandes partidos querem atacar Moro para garantir impunidade a todos.

MAIS INFO
US$ 34 bi foi a oferta realizada pela empresa Comcast pela britânica Sky superando uma oferta de US$ 32,5 bilhões feita horas antes pela Twenty-First Century Fox. A Fox está tentando comprar a Sky desde 2016.

R$ 1,7 bilhão foi quanto o Estado de São Paulo arrecadou em royalties e participações especiais sobre a exploração e produção de petróleo no primeiro semestre de 2018, segundo levantamento da Secretaria de Energia e Mineração do governo paulista.