Documentário provoca debate sobre a Amazônia contemporânea, em Paris

Os professores Marilene Corrêa da Silva Freitas e Marcus Barros debaterão, em Paris, na próxima semana, com Marcos Colón, diretor do filme ‘Beyond Fordlândia’, sobre o assunto

Da Redação / redacao@diarioam.com.br

Manaus – Os professores da Universidade do Amazonas Marilene Corrêa da Silva Freitas e Marcus Barros debaterão, em Paris, na próxima semana, com Marcos Colón, diretor do filme ‘Beyond Fordlândia’, sobre ‘A Amazônia Contemporânea’. O evento marca a estreia do documentário na França, em evento do ‘Grupo de Reflexão sobre o Brasil Contemporâneo da Escola de Altos Estudos em Ciências Sociais’.

Assunto será discutido em Paris. (Foto: Reprodução)

O Ministério do Meio Ambiente assumiu, até o final de 2019, a presidência do Comitê Gestor da Política Nacional de Gestão Territorial e Ambiental de Terras Indígenas, com o objetivo de integrar ações visando à conservação ambiental nestas áreas

De olho no esgoto

O Ministério Público do Estado apura denúncia de entrega do Condomínio Reserva do Parque, pela Urbis Empreendimentos, sem conclusão das estações de tratamento de esgoto.

Livros “inestimáveis”
O secretário da Casa Civil do Estado, José Alves Pacífico, declarou entre seus bens, um acervo bibliográfico com cerca de 1,5 mil volumes de ‘valor inestimável’, como já fez em outras vezes que assumiu o cargo.

Interesse em elucidar
O comando da Polícia Militar, em Parintins, informou que vai colaborar com o Ministério Público na apuração de denúncias de ‘esquemas ilícitos’ no 11º Batalhão e ingerência de oficial na Polícia Civil.

Pedido de esclarecimento
Sobre nota de que o Tribunal de Contas representou contra ele, o prefeito de Maués, Carlos Junior, disse que trata-se de pedido de esclarecimentos feitos por atos praticados pelo então prefeito Odivaldo Paiva (Belexo), em 2012.

MAIS INFO
3,20 reais foi o fechamento do dólar, ontem, que relegou o rebaixamento da nota brasileira pela agência de classificação de risco Standard & Poor’s na véspera e recuou 0,38% , menor nível desde os R$ 3,18 de 20 de outubro.
60,2 milhões de brasileiros encerraram o ano de 2017 com alguma conta em atraso e com o CPF restrito para contratar crédito ou fazer compras parceladas, segundo o Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) e da Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas.



SIGA-NOS NAS NOSSAS REDES