Estradas ruins emperram o desenvolvimento na região Norte

O estudo ‘Transporte Rodoviário: desempenho do setor, infraestrutura e investimentos’, da Confederação Nacional dos Transportes (CNT), divulgado, ontem, diz que a região com as piores condições é a Norte, com apenas 23,4% das rodovias pesquisadas em condições ‘ótimo’ ou bom’. O estudo também conclui que o serviço de transporte rodoviário de cargas realizado, na Região Norte, é o mais onerado pelas deficiências na infraestrutura rodoviária brasileira. Com isso, a produção da região perde competitividade, o que compromete seu desenvolvimento. Complementarmente, o maior custo adicional nos deslocamentos rodoviários, essenciais para a integração com a navegação interior, elevam o custo de vida na região e comprometem o bem-estar. Na média nacional, a pesquisa diz que a qualidade das rodovias vem melhorando, nos últimos anos, mas a malha é pequena e 57,3% das rodovias públicas avaliadas ainda são precárias. Esta situação aumenta o custo operacional do transporte, o risco de acidentes e os impactos sobre o meio ambiente.

Justiça de folga

O expediente forense do Tribunal de Justiça do Amazonas será suspenso, hoje, devido ao ponto facultativo alusivo ao Dia do Magistrado e do Advogado.

Obra sob suspeita

O Tribunal de Contas do Estado (TCE) admitiu representação contra a licitação da Prefeitura de Coari para contratar a construção do Centro de Convivência da Família, por RS 1,39 milhão.

Pregão suspenso

O conselheiro do TCE Júlio Cabral suspendeu o pregão da Prefeitura de Benjamim Constant para internet via satélite banda C, vencido pela Rural Web, por R$ 815,4 mil. A representação diz que o valor era 40% superior ao do menor preço oferecido.

Auxílio funeral

O Tribunal de Contas do Estado concedeu ‘auxílio funeral’ a viúva de um conselheiro aposentado que recebeu proventos líquidos de R$ 33.359,50, no último mês. O Diário Oficial do órgão não informou o valor.

Contas partidárias

Os tribunais de contas irão auxiliar na fiscalização das contas dos partidos, segundo convênio assinado entre o Tribunal Superior Eleitoral e a Associação dos Membros dos Tribunais (Atricon).