Novo superintendente da PF discursa contra a corrupção

Com um discurso focado no combate à corrupção, ao tráfico de drogas e ao crime ambiental, tomou posse, na terça-feira, o novo superintendente regional da Polícia Federal do Estado do Amazonas, o delegado de Polícia Federal Alexandre Silva Saraiva.

Com um discurso focado no combate à corrupção, ao tráfico de drogas e ao crime ambiental, tomou posse, na terça-feira, o novo superintendente regional da Polícia Federal do Estado do Amazonas, o delegado de Polícia Federal Alexandre Silva Saraiva. A cerimônia ocorreu na Universidade Federal do Amazonas (Ufam). Natural do Rio de Janeiro, Saraiva é formado em Direito e atualmente faz doutorado no Programa de Pós-Graduação em Ciências do Ambiente e Sustentabilidade na Amazônia (PPG-Casa/Ufam). Saraiva ingressou na PF em 2003 e nos últimos anos esteve à frente da Superintendência Regional da PF de Roraima (2011-2014) e do Maranhão (2014-2017). No início da carreira, no Rio de Janeiro, ele atuou em delegacia de combate a crimes ambientais. “O combate implacável à corrupção é o nosso carro-chefe. Também vamos trabalhar muito fortemente no combate aos crimes ambientais, desmatamento, tráfico de animais, exploração ilegal de madeiras, e também ao tráfico de drogas nos rios”, disse o novo superintendente.

Brasileiro do Ano 1
Na entrega do título Brasileiro do Ano, da IstoÉ, o prefeito Arthur Neto destacou o juiz Sérgio Moro e Alan Ruschel, sobrevivente da tragédia da Chapecoense.

Brasileiro do Ano 2

Arthur Neto, defensor da iniciativa privada, entregou o prêmio Empreendedor do Ano, na categoria E-Commerce, a Frederico Trajano, CEO do Magazine Luiza.

Feijão na Assembleia 1
A Assembleia Legislativa do Estado decidiu cobrar R$ 1.381,36 mensais pela exploração comercial de seu restaurante, de 483,84 metros quadrados à TR da Silva Feijão Eirele-ME.

Feijão na Assemblei 2
Em ‘compensação’, a TR da Silva Feijão deve cobrar R$ 30 pelo quilo da comida, R$ 38 pelo quilo da sobremesa e R$ 12,50 pelo prato feito.

Sem redução de carga
O Tribunal de Contas do Estado reajustou para R$ 3,80 o auxílio transporte e para R$ 1 mil o bolsa-auxílio de seus estagiários. E indeferiu o pedido para a redução da carga horária.



SIGA-NOS NAS NOSSAS REDES