Relatório: Soja contribui pouco para desmatamento na Amazônia

Relatório encomendado pelo Grupo de Trabalho da Soja (GTS) indica que, nos últimos 11 anos, a soja respondeu somente por 1,2% do total desflorestado por corte raso

Da Redação / redacao@diarioam.com.br

Manaus – Um relatório encomendado pelo Grupo de Trabalho da Soja (GTS) indica que, nos últimos 11 anos, embora a área de semeadura tenha triplicado, a soja respondeu somente por 1,2% do total desflorestado por corte raso (quando há remoção absoluta da vegetação de um local) na Amazônia. A área de cultivo saltou de 1,14 milhão de hectares na safra 2006/2007 para 4,48 milhões de hectares durante a safra de 2016/2017, diz o relatório.

A inadimplência do consumidor brasileiro caiu 3,5% em 2017, de acordo pesquisa da Boa Vista Serviço Central de Proteção ao Crédito. Foi registrada queda no Nordeste (-5,4%), Sudeste (-3,9%), Norte (-3,0%) e Centro-Oeste (-3,3%). Menos na Região Sul

 

Sistema criticado 1
Sobre a crise nas prisões, o juiz da Vara de Execução Penal de Manaus, Luís Carlos Valois, disse para o jornal Folha de S. Paulo: “É difícil falar de evolução em um sistema que não tem o básico de uma vaga para cada preso”.

Sistema criticado 2
Segundo Valois, ainda na entrevista, “a gente ainda precisa cumprir Constituição do Império, que já dizia que não podia haver superlotação, que os presos tinham de ser separados por crime”.

Recorde histórico 1
A Polícia Federal (PF) bateu seu recorde histórico de apreensões de cocaína e maconha em 2017: 44,7 toneladas de cocaína e 313 toneladas de maconha, segundo balanço nacional divulgado ontem.

Recorde histórico 2
Entre as principais operações do ano passado, a PF cita a prisão de Luiz Carlos da Rocha, o ‘Cabeça Branca’, que controlava áreas de produção de drogas nas florestas da Bolívia, Peru e Colômbia.

MAIS INFO
458,9
bilhões de reais foi quanto 18 Estados solicitaram de renegociação das dívidas com a União, segundo informou, ontem, o Tesouro Nacional. Apenas o Distrito Federal, Amazonas e Roraima não aderiram.
369
mil jovens ingressaram no mercado de trabalho, em 2017, pelo programa Aprendizagem Profissional, do Ministério do Trabalho. O resultado segue o ritmo de 2016, com 386 mil jovens admitidos. O número de 2017 corresponde a pouco mais de um terço do potencial de vagas.



SIGA-NOS NAS NOSSAS REDES