Com vagas para o AM, Santander abre seleção para o cargo de gerente

Janeiro também marca abertura do programa de estágios que levará 1,2 mil universitários a atuar em empresas clientes do banco

Da Redação / redacao@diarioam.com.br

Manaus – Como parte do plano de expansão do Santander no segmento de pequenas e médias empresas, o banco deu início a um processo seletivo para a contratação de 350 profissionais para os cargos de Gerente de Relacionamento Empresas 1, 2 e 3. As vagas estão distribuídas em 24 Estados, entre eles o Amazonas, e o Distrito Federal.

Para participar do processo seletivo, o interessado deve cadastrar o currículo no canal ‘Trabalhe Conosco’ no site do banco. Funcionários Santander também podem concorrer.

Santander abre 350 vagas para gerentes em 24 Estados (Foto: EBC)

As vagas são para a Bahia, Sergipe, Espírito Santo, Goiás, Maranhão, Piauí, Tocantins, Mato Grosso do Sul, Mato Grosso, Rondônia, Minas Gerais, Brasília, Paraíba, Rio Grande do Norte, Pernambuco, Amazonas, Ceará, Pará, Amapá, Paraná, Rio de Janeiro, São Paulo, Rio Grande do Sul e Santa Catarina.

No início do ano passado, o banco já contratou 350 gerentes que contribuíram para a abertura de 15 mil contas correntes empresariais e 10 mil novos clientes. “Esse engajamento impulsionou nosso avanço no segmento e, como consequência, abrimos as novas vagas, ”, afirma o diretor de Empresas, Governos & Instituições e Agronegócios no Banco Santander Brasil, Ede Viani.

A área de negócio também planeja abrir neste ano vagas para Gerente de Relacionamento Digital, aumentando o modelo de atendimento no qual o relacionamento do cliente e gerente exclusivo seja remoto por meio de canais digitais.

O perfil de profissional buscado pela instituição financeira é de pessoas empreendedoras, com paixão pelo trabalho, garra, forte orientação ao cliente e capacidade de entrega de resultados. Os talentos podem ter experiências tanto em instituições financeiras quanto em outros mercados, que atuem em vendas consultivas e que prezem pelo atendimento qualificado. “Assim podemos cada vez mais construir uma cultura diversa, somar novos conhecimentos e experiências”, destaca Viani.

É necessário ter a Certificação Profissional Associação Brasileira das Entidades dos Mercados Financeiro e de Capitais (Anbima) série 10 (CPA 10), para profissionais que atuam na prospecção ou venda de produtos de investimento diretamente para o público, em agências bancárias ou plataformas de atendimento. Porém, os candidatos aprovados no processo que ainda não tiverem a qualificação poderão fazer o curso gratuitamente pela Universia.

Bolsas para estágio

Confiando na retomada da economia e que as empresas de pequeno e médio porte são a mola propulsora deste movimento, o Santander abrirá 1,2 mil oportunidades de estágio em pequenas e médias empresas clientes do Banco. O Programa Universitário – Empresas teve início em 2015 e é uma iniciativa do segmento Negócios & Empresas em parceria com o Santander Universidades. O objetivo é aproximar as companhias-clientes aos grandes centros de ensino e de pesquisa tecnológica do Brasil, além de apoiar a formação prática dos universitários por meio de sua preparação para o mercado de trabalho. Em 2017, 1,1 mil universitários foram contemplados.

As pequenas e médias empresas clientes do banco que desejam ter um estagiário podem sinalizar seu interesse no site do Santander Negócios & Empresas, na aba Construindo Equipes > Programa Universitário-Empresas, onde também encontrarão as regras de elegibilidade para a inscrição. Já os universitários interessados, que podem ser de qualquer curso e região do País, deverão consultar as vagas e se candidatar no aplicativo Santander Universitário, disponível em IOS e Android, a partir de 22 de janeiro.

A bolsa de estágio terá duração de quatro meses, com carga horária de quatro horas diárias e o auxílio-mensal de R$ 882,00.

O Santander Negócios & Empresas é responsável pelo relacionamento com clientes pessoa jurídica de micro, pequeno e médio porte, que, nos 20 países onde o Banco atua, somam mais de quatro milhões de empresas. No Brasil, a carteira de crédito do segmento encerrou setembro com cerca de R$ 33 bilhões.