Seduc divulga data de reaplicação de prova anulada em concurso

A prova foi anulada após a secretaria constatar que houve violação de um malote de provas. Provas do concurso foram aplicadas neste domingo e apresentaram diversas irregulares, conforme denúncias de inscritos

Gisele Rodrigues / redacao@diarioam.com.br

Manaus – Foi marcada para o dia 22 deste mês a reaplicação da prova da Secretaria de Educação (Seduc) para Professor de Ensino Regular, informou a secretaria no início da tarde desta segunda-feira (9). A prova, aplicada neste domingo (8), foi anulada após “falha humana”, conforme a secretaria. A Seduc informou que os gabaritos do concurso serão divulgados nesta segunda.

Candidatos reclamaram da distância dos locais de prova (Foto: Sandro Pereira)

Embora a Polícia Civil (PC) tenha recebido diversas denúncias relacionadas à aplicação das provas, a Seduc decidiu que o Instituto Acesso deve reaplicar apenas a prova para cargo de Professor de Ensino Regular – 20 horas, que recebeu 7 mil inscrições. O Instituto divulgará, nos próximos dias, os locais e horários para a realização do certame no seu site.

LEIA TAMBÉM:
Candidatos denunciam irregularidades durante aplicação de provas do concurso da Seduc
Candidatos reclamam da distância de locais de prova do concurso da Seduc 

Segundo a secretaria, os candidatos ao cargo foram prejudicados por conta da violação de um malote de provas. A empresa responsável, conforme a Seduc, não vai reaplicar a prova para merendeiro, cargo para o qual 108 mil candidatos se inscreveram. Ao todo, cerca de R$ 9 milhões foram pagos em taxa de inscrição no concurso.

Após denúncias de irregularidades para o cargo mais disputado (181 por vaga), as queixas foram deixadas de lado e a Seduc não considerou como prova os vídeos divulgados pelos candidatos a uma vaga de merendeiro. Com a decisão, o Instituto Acesso não vai levar o prejuízo financeiro de reaplicar a prova para 108 mil pretendentes ao cargo.

“O que a empresa nos diz é que não é possível ter vídeo de dentro das salas de aulas porque os telefones estavam guardados dentro de sacos. Se isto é verdade, não é possível ter vídeo. Se não é possível ter vídeo, eu não tenho a prova de nenhuma irregularidade”, justificou o secretário da Seduc, Lourenço Braga, em coletiva de imprensa, na manhã desta segunda-feira.

Provas trocadas, candidatos sem salas e lacres violados foram algumas das denúncias feitas por candidatos do concurso da Seduc à PC. Aproximadamente 20 candidatos desistiram de fazer as provas na Escola Estadual Karla Patrícia Barros de Azevedo, no bairro Tarumã, e registraram Boletim de Ocorrência, informando que foram prejudicados por irregularidades.