ADS libera mais de R$ 700 mil para os produtores de malva e juta no Amazonas

Os valores foram repassados para mais de 200 juticultores. Esta é a segunda etapa do pagamento. Na semana passada, 12 juticultores de Codajás e sete de Coari receberam a primeira parte

Da Redação / redacao@diarioam.com.br

Manaus – Os produtores do Programa de Incentivo à Produção de Juta e Malva, desenvolvido pela Agência de Desenvolvimento Sustentável do Amazonas (ADS), órgão vinculado ao sistema da Secretaria de Produção Rural do Estado (Sepror), receberam, nessa quinta-feira (11), o pagamento referente à última etapa da safra de 2014-2015. Foram R$ 711.844,64 mil em pagamento para mais de 200 juticultores.

A ADS já está preparando o próximo pagamento para os produtores (Foto: Divulgação/ADS)

A cerimônia aconteceu na última semana, na sede da Ciranda Flor Matizada, localizada na Avenida Manoel Urbano, 753, Centro de Manacapuru (a 99 quilômetros de Manaus). No evento, foram contemplados 196 produtores de Manacapuru com R$ 648.226,52 mil, e seis produtores do município de Anamã (distante 210 quilômetros da capital) com mais 15.160,00 mil.

Para Túlio Kniphoff, presidente da ADS, honrar com esse pagamento foi um dos compromissos que assumiu, junto a Sepror, quando chegou a Agência. “Estamos muito satisfeitos. O pagamento beneficia centenas de famílias, além de estar chegando em um momento muito oportuno aos produtores, que vivem um período de seca”, afirmou.

Esta é a segunda etapa do pagamento, na semana passada, 12 juticultores do município de Codajás e sete de Coari receberam a primeira parte via Banco do Brasil.

“Esse dinheiro vai dar para fazer investimentos em outras coisas. Além da juta e malva produzo macaxeira e banana”, falou Rodrigo Trindade produtor de Manacapuru, que também é credenciado no Programa de Aquisição de Alimentos (PAA) da ADS.

Outros pagamentos

O secretário de Produção Rural do Amazonas, José Aparecido, declarou que a pasta já está preparando o próximo pagamento para os produtores da juta e malva referente à safra 2016, onde serão beneficiados, aproximadamente, dez municípios do Estado.

O pagamento é feito em um caixa específico dentro do Banco do Brasil e é necessário que os produtores beneficiados levem um documento com foto e o Cadastro de Pessoa Física (CPF).