Amazonas registra, em setembro, menor inadimplência do ano

Segundo a Câmara de Dirigentes Lojistas, o índice de calotes caiu para 3,9%, após meses em torno de 4,5%

Beatriz Gomes/redacao@diarioam.com.br

Manaus – Em setembro, o Amazonas apresentou a menor taxa de inadimplência do comércio, segundo a Câmara de Dirigentes Lojistas de Manaus (CDLM). Enquanto nos meses anteriores a média era de 4,5%, em setembro, o índice de calotes caiu para 3,9%. Por outro lado, as vendas do varejo em agosto também cairam, segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Lançada no início do mês, a CDLM realiza a campanha de recuperação de débitos com a expectativa de realizar 40 mil negociações até final de novembro.

Lançada neste mês, a CDLM realiza a campanha de recuperação de débitos (Foto: José Cruz/ABr)

Nos últimos cinco anos, 345 mil pessoas foram negativadas no Estado. Para o presidente da CDLM, Ralph Assayag, o pagamento das contas inativas do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS), além da queda no número de demissões ajudaram os consumidores a se organizar melhor e honrar com os pagamentos.

“Todos os meses, em torno de 50 mil consumidores em média entraram para o cadastro de inadimplentes do Estado e 45 mil saíram, enquanto em setembro 36 mil entraram e 31 mil saíram”, disse Assayag.

Em novembro, a CDLM deu início à 11ª edição da campanha ‘Limpe Seu Crédito e Faça Seu Nome Brilhar’. A expectativa é que 40 mil pessoas inadimplentes procurem seus credores para quitar seus débitos. Aproximadamente, 1,3 mil lojistas devem participar da ação.

As pessoas interessadas devem procurar a empresa que está com débito para negociar descontos em juros e multas de acordo com o que cabe no bolso. No ano passado, 35 mil inadimplentes procuraram os lojistas para quitarem seus débitos.

O presidente afirmou, também, que os lojistas estimam que com os débitos quitados estes consumidores voltarão a comprar neste final ano. “Tivemos um saldo positivo no primeiro semestre e acreditamos que se estenderá neste segundo semestre”, pontuou.

A ação é realizada no segundo semestre quando muitos trabalhadores recebem o 13º salário. “Quando o trabalhador recebe o 13º salário, no segundo semestre do ano, ele acaba tendo uma condição mais favorável para negociar suas dívidas”, destaca Assayag.

Varejo

Em agosto de 2017, o volume de vendas do comércio varejista amazonense recuou 3,2%, enquanto a receita nominal caiu 2,7%, ambos frente a julho, na série com ajuste sazonal. De acordo com a Pesquisa Mensal do Comércio (PME), do IBGE, a queda nas vendas ocorreu após dois meses de crescimento, período em que houve um ganho acumulado de 3,6% (junho e julho).



SIGA-NOS NAS NOSSAS REDES